Micale defende Neymar e admite variações no esquema contra Dinamarca

terça-feira, 9 de agosto de 2016 16:24 BRT
 

(Reuters) - O técnico da equipe olímpica de futebol, Rogério Micale, defendeu o atacante Neymar nesta terça-feira, afirmando que as críticas podem afastar o jogador da seleção, e admitiu que o Brasil pode ter variações no esquema para a partida decisiva de quarta-feira contra a Dinamarca.

Após dois empates sem gols contra África do Sul e Iraque nos Jogos Rio 2016, a seleção precisa de uma vitória contra os dinamarqueses, em Salvador, para se classificar e superar as desconfianças da torcida brasileira.

Um dos mais criticados pelos torcedores é Neymar, capitão da equipe e um dos três jogadores com mais de 23 anos convocados por Micale, que decidiu blindar o atacante e disse que se as cobranças continuarem tão intensas, o país corre o risco de perder o jogador na seleção brasileira.

“Se não tivermos uma transição de nossos craques e se não respeitarmos os nossos craques, já já eles não vão querer estar conosco”, disse o técnico em entrevista coletiva.

“Neymar quis estar na seleção e teve que assumir situação e é muito cobrado aos 24 anos”, completou.

O atacante do Barcelona se recusou a dar entrevistas depois do jogo contra o Iraque, em que o time foi vaiado pela torcida em Brasília.

Para a partida contra a Dinamarca, Micale terá que fazer ao menos uma mudança no time, já que o volante Thiago Maia está suspenso. Ele não confirmou os titulares e reconheceu que pode haver variação no esquema.

“Temos um modelo de jogo que permite variações e a gente não pode mudar um cocneito sem treinamento. Não é porque que as vitórias não vieram que a gente vai mudar tudo...podemos sim fazer algumas variações“, disse Micale.

No empate em 0 x 0 com o Iraque, o treinador chegou a ter em campo uma equipe com quatro homens de frente.

“Reflexões temos que sempre fazer, ainda mais quando o resultado não aparece...a gente espera que as coisas possam correr bem, estamos muito confiantes pelos números e a gente pode fazer algo melhor“, declarou.

(Por Rodrigo Viga Gaier, no Rio de Janeiro)

 
Micale, durante Brasil x Iraque
 07/08/2016 REUTERS/Ueslei Marcelino