Usando hijab, jogadora de vôlei de praia do Egito recebe apoio da torcida brasileira

terça-feira, 9 de agosto de 2016 16:37 BRT
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - Quando a egípcia Doaa Elghobashy bloqueou a italiana Laura Giombini nas famosas areias de Copacabana, duas culturas pareciam se unir.

Doaa, com a cabeça coberta por um hijab, levantou seus braços cobertos por mangas compridas e - desta vez - venceu contra sua competidora, que estava usando um biquíni.

A torcida brasileira, que permaneceu na Arena de Vôlei de Praia após assistir a dupla brasileira Pedro Solberg e Evandro Gonçalves perder mais cedo durante a manhã, vibrou intensamente.

"Egito, Egito, Egito", ecoou o canto na arena da praia de Copacabana, com capacidade para 12 mil pessoas, com a multidão apoiando a dupla azarão.

"Nós estávamos muito orgulhosas de jogar em frente a uma torcida tão bacana", disse a atleta, através de um tradutor. "Eu uso o hijab pois sou muçulmana, mas isto não me impede de me sentir parte do jogo".

(Por Stephen Eisenhammer)

 
Doaa Elghobashy do Egito e Laura Giombini da Itália competem no vôlei de praia na Arena em Copacabana.   REUTERS/Ricardo Moraes