Camilo e Portela perdem e Brasil fica mais distante da meta de medalhas no judô

quarta-feira, 10 de agosto de 2016 13:10 BRT
 

Por Tatiana Ramil

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O quinto dia de competição de judô nos Jogos Rio 2016 terminou de forma precoce para o Brasil, nesta quarta-feira, quando Tiago Camilo e Maria Portela perderam logo na segunda luta e foram eliminados.

Restam agora dois dias de disputa para a modalidade, que é considerada uma das maiores esperanças de medalha para o Brasil, mas até agora só um pódio foi conquistado, com a campeã olímpica Rafaela Silva.

"Olimpíada não tem dono e tudo pode acontecer. É uma competição atípica, e a pressão é muito grande", disse Camilo logo após a derrota. "O judô brasileiro cresceu nos últimos anos, mas tem que continuar crescendo porque outros países encostaram".

O judô brasileiro tem como objetivo no Rio superar as quatro medalhas de Londres 2012, uma de ouro e três de bronze, em termos de quantidade ou qualitativamente, mas a meta parece mais distante agora que faltam apenas quatro atletas para competir, entre eles os medalhistas olímpicos Mayra Aguiar e Rafael Silva.

Tiago Camilo, medalhista de prata em Sydney 2000 e de bronze em Pequim 2008, era um dos cotados a ganhar medalha, mas acabou sendo derrotado por Mammadali Mehdiyev, do Azerbaijão.

O brasileiro estava na frente com um yuko, mas acabou sendo levantado pelo rival e tomou um yuko e um wazari.

"É um sentimento de amor que sempre tive pelo judô e fico triste por ter acabado dessa forma, mas fico feliz com meu desempenho. Era um atleta difícil do Azerbaijão, acabei errando na pegada, tomei o golpe e não consegui reverter", afirmou o atleta brasileiro, de 34 anos.

Camilo começou a competição de forma agressiva e na primeira luta conseguiu logo um yuko contra o sul-africano Zack Piontek. No último segundo, ainda aplicou um ippon.   Continuação...

 
Tiago Camilo (azul) durante combate contra Zack Piontek, da África do Sul, na Rio 2016.      10/08/2016    REUTERS/Toru Hanai