Organizadores da Rio 2016 mostram otimismo enquanto problemas se acumulam

quinta-feira, 11 de agosto de 2016 18:59 BRT
 

Por Karolos Grohmann

RIO DE JANEIRO (Reuters) - Os organizadores da Olimpíada do Rio se mostraram positivos nesta quinta-feira, enquanto os problemas se acumulam nos primeiros Jogos Olímpicos da América do Sul, admitindo que os preparativos poderiam ter sido melhores, mas demonstrando confiança em um eventual sucesso.

Em meio à pior recessão no Brasil nas últimas décadas e uma crise política que dividiu o país, os organizadores estão encontrando dificuldades em muitos aspectos da Olimpíada.

Desde segurança a cadeiras vazias até problemas no transporte, voluntários e nas arenas e até mesmo falta da marca olímpica padrão nos estádios, os Jogos do Rio enfrentam uma miríade de problemas no quinto dia de competições.

"Está claro que em tudo que nós fazemos na vida, quando olhamos para trás, nós acreditamos que poderíamos ter feito melhor", disse o diretor de comunicação do Comitê Rio 2016, Mario Andrada, nesta quinta-feira. "É a primeira Olimpíada da América do Sul e primeiro evento esportivo deste tipo para o público brasileiro", disse.

"Nós chegamos aos Jogos em uma crise econômica muito significativa. Mudanças políticas também afetaram o humor dos brasileiros", disse.

Quando o Rio foi escolhido como sede em 2009, o país tinha crescimento anual de quase dois dígitos. As condições econômicas, no entanto, implicaram na falta de dinheiro dos organizadores nos anos anteriores ao início dos Jogos.

Ao contrário do que aconteceu em Londres em 2012, os espectadores não correram para adquirir ingressos e as imagens das televisões, transmitidas para o mundo todo, mostram assentos vazios em quase todas as arenas, sendo que apenas a cerimônia de abertura teve entradas esgotadas.

"Eu não estou fugindo da questão. As coisas poderiam ter sido feitas de maneira melhor e nós aprenderemos com isso e faremos melhor no próximo grande evento, mas nós não temos arrependimentos", disse Andrada.

 
Diretor de comunicação do Comitê Rio 2016, Mario Andrada, em coletiva de imprensa no Rio de Janeiro 
06/08/2016 REUTERS/Tony Gentile