Caí feio mas tinha que conquistar essa medalha, diz Mayra após segundo bronze seguido

quinta-feira, 11 de agosto de 2016 20:31 BRT
 

Por Pedro Fonseca

RIO DE JANEIRO (Reuters) - Mayra Aguiar aprendeu cedo a primeira lição do judô: saber cair e levantar, e foi por meio desse ensinamento que a judoca conquistou nesta quinta-feira a segunda medalha olímpica da carreira, superando em poucos minutos a frustração de uma derrota na semifinal que a tirou da luta pelo ouro para vencer o combate final.

Apontada como favorita para chegar à final olímpica da categoria até 78 kg, a campeã mundial de 2014 derrotou a cubana vice-campeã em Pequim 2008 Yalennis Castillo na disputa pelo bronze, dando a volta por cima depois de ser batida pela francesa Audrey Tcheumeo na semi, e se garantindo no pódio olímpico pela segunda vez consecutiva.

"A gente não pode desistir nunca. No judô a primeira coisa que a gente aprende é a cair e se levantar. Eu caí feio, me abalou muito, mas eu tinha que voltar e tinha que conquistar essa medalha, e consegui", disse Maya, judoca desde os 5 anos e primeira mulher do judô brasileiro com duas medalhas em Olimpíadas, após o bronze também em Londres 2012.

"É um tempo muito curto, mas eu consegui trocar esse sentimento ruim por um sentimento positivo forte de garra, vontade, até de um pouco de raiva, porque eu não admito perder, dá muita raiva. Eu ia deixar o corpo no tatame, mas não ia sair dali sem a medalha", acrescentou.

Após ser derrotada pela francesa por uma punição de shido, Maya afundou a cabeça no tatame da Arena Carioca 2 como se quisesse furar o chão, mas logo depois precisou voltar para a disputa do bronze. Tendo vivido a mesma situação nos Jogos passados, a judoca disse ter lembrado o quanto o bronze de 2012 mudou a sua vida para melhorar e encontrou forças para repetir o feito, desta vez diante de sua torcida.

"É um momento bastante difícil numa competição quando a gente perde. A gente vem com um objetivo e naquele momento a gente perdeu o que a gente veio buscar. Ter a cabeça de mudar em tão pouco tempo isso é complicado, mas vale a pena", afirmou.

Em um enorme contraste com a decepção evidenciada ao ser eliminada da busca pela medalha de ouro, Mayra fez festa com a família e amigos na arquibancada para comemorar o bronze, e desfilou pela arena com um largo sorriso no rosto para mostrar o troféu de bronze no peito, sob os gritos de "Maya" por parte dos milhares de torcedores que a incentiveram ao longo do dia todo.

"Quando eu perdi aquela luta eu saí abalada com certeza, mas botei na minha cabeça que vale a pena, que eu não podia desistir ali", disse a repórteres depois da conquista. "Eu devia isso ao pessoal que acompanhou e torceu por mim. Eu botei na cabeça que precisava dar essa alegria para eles."   Continuação...

 
Judoca Mayra Aguiar
11/8/2016 Kyle Terada-USA TODAY Sports