Nadadora norte-americana vê ouro inédito na Rio 2016 como incentivo a comunidade negra

sexta-feira, 12 de agosto de 2016 10:16 BRT
 

Por Alan Baldwin

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A nadadora afro-americana Simone Manuel carrega um fardo nos ombros cada vez que se posiciona no bloco de largada da piscina, mas a medalha de ouro que foi pendurada em seu pescoço na quinta-feira pode ajudar a tirar esse peso.

Fazendo história como primeira nadadora negra a conquistar um título olímpico individual para os Estados Unidos, Simone falou sobre seu desejo de mudança em questões raciais e abordou alguns temas de frente.

"Essa medalha não é só para mim, é para alguns dos afro-americanos que vieram antes de mim e que foram inspirações e mentores para mim", disse ela depois que um empate na final dos 100 metros estilo livre levou à entrega de dois ouros -- a outra vencedora foi a canadense Penny Oleksiak, de 16 anos.

"Acho que significa muito, especialmente o que está acontecendo no mundo hoje nessas questões de brutalidade policial", acrescentou, sem entrar em detalhes. "Acho que esta vitória de certa forma ajuda a levar esperança e mudança em algumas das questões que estão acontecendo".

Diveros casos nos Estados Unidos de mortes a tiro de homens e mulheres negras pelas mãos de policiais brancos desencadearam manifestações, algumas violentas, nos último meses.

Simone, de 20 anos, que é de Houston e frequenta a Universidade Stanford, é uma das duas afro-americanas que se classificaram para a equipe dos EUA – a outra é Lia Neal, que conquistou um bronze no revezamento dos 4x100 metros estilo livre na Rio 2016.

Simone diz ter esperança de que seu primeiro ouro traga mudanças.

"Quando vim para a prova hoje (quinta-feira) à noite, tentei tirar o peso da comunidade negra dos ombros, que é algo que carrego comigo só por estar nesta posição", disse. "Realmente torço para que isso vá embora. Estou super contente com o fato de que posso ser uma inspiração para outros e, quem sabe, diversificar o esporte".

 
Simone Manuel comemora vitória na final dos 100m livre no Rio. 11/08/2016  REUTERS/Marcos Brindicci