Fijianos dançam na capital para comemorar ouro inédito no rúgbi na Rio 2016

sexta-feira, 12 de agosto de 2016 10:54 BRT
 

SYDNEY (Reuters) - Suva, a capital de Fiji, parou durante a final masculina do rúgbi de sete jogadores na Olimpíada do Rio de Janeiro de 2016, e depois irrompeu em comemorações, caos e uma cacofonia de buzinas de automóveis quando a nação-arquipélago conquistou a primeira medalha olímpica de sua história.

"Nossa, foi maravilhoso, você conhece os fijianos, todo mundo foi para as ruas, foi uma festa com dança e fogos de artifício e tudo o mais, foi simplesmente incrível", disse Seini Lakai, que administra o Suva Business Centre no centro da cidade.

"Ben Ryan? Ele é o rei, cara", entusiasmou-se ela ao falar do treinador inglês por trás da vitória de 43 a 7 sobre o Reino Unido na final.

O som das comemorações ecoou pelas alas do hospital Colonial War Memorial de Suva, disse uma recepcionista à Reuters por telefone.

"Até agora todo mundo ainda está celebrando e acenando com bandeiras", disse.

O rúgbi voltou aos Jogos depois de 92 anos, e a formação de sete jogadores usada na Rio 2016 é um verdadeiro culto em Fiji, onde torcedores se reuniram em bares, shopping centers e no estádio nacional para assistir a partida às 10h locais.

A seleção de Fiji teve um desempenho de tirar o fôlego, levando o primeiro-ministro fijiano, Frank Bainimarama, a decretar um feriado na semana que vem para comemorar.

Após a vitória, as ruas de Suva foram tomadas por pessoas tocando buzinas e cantando o hino nacional, contou Lorraine Seeto, gerente-geral do banco central de Fiji, que viu tudo do topo do edifício mais alto do país.

"Está sendo uma grande comemoração para Fiji", disse. "Estamos muito felizes por nossos meninos e orgulhosos do treinador Ben Ryan."