Judoca El Shehaby diz que não quebrou regras ao recusar cumprimento de adversário

sábado, 13 de agosto de 2016 11:51 BRT
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O egípcio Islam El Shehaby, que causou alvoroço ao recusar o aperto de mão do judoca israelense Or Sasson depois de uma luta na Rio 2016, disse que respeita as regras do esporte e não tinha nenhuma obrigação de cumprimentar o adversário.

Após Sasson derrotar El Shehaby na sexta-feira e os dois retomarem seus lugares na frente do árbitro, o egípcio recuou quando Sasson se aproximou para cumprimentá-lo.

Quando chamado de volta pelo árbitro, El Shehaby deu um aceno rápido antes de sair em meio a vaias da torcida.

El Shehaby, de 32 anos, teria sido pressionado por seus fãs nas redes sociais para não comparecer à luta contra seu adversário israelense, pois os torcedores argumentavam que isso envergonharia o Islã.

"Apertar a mão de seu oponente não é uma obrigação por escrito nas regras do judô. Isso acontece entre amigos e ele não é meu amigo", disse ele ao L'Esprit du Judo.

"Não tenho nenhum problema com o povo judeu ou qualquer outra religião ou crenças diferentes. Mas, por razões pessoais, você não pode me pedir para apertar a mão de alguém por este Estado, especialmente na frente de todo o mundo", completou.

O Egito foi o primeiro país árabe a fazer a paz com Israel, em 1979, mas o tratado continua impopular entre muitos egípcios.

(Reportagem de Chris Gallagher)

 
Sasson e El Shehaby lutam na Rio 2016.  12/08/2016.  REUTERS/Toru Hanai