13 de Agosto de 2016 / às 15:42 / um ano atrás

Phelps se diz pronto para parar

Michael Phelps com medalaha dos 4 x 200m livre REUTERS/Dominic Ebenbichler

RIO DE JANEIRO (Reuters) - Não é não. Não adianta seus colegas tentar convencê-lo, nem que os fãs implorem. Michael Phelps diz que está irredutível quanto ao plano de largar a natação após os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro.

O nadador norte-americano deixou isso muito claro na sexta-feira, após ganhar sua 27ª medalha de prata em Olimpíadas, um triplo empate pela prata nos 100 m borboleta, junto com o sul-africano Chad le Clos e o húngaro Laszlo Cseh.

“Não”, respondeu Phelps sobre as chances de continuar nadando antes mesmo que a pergunta saísse da boca dos jornalistas. Vários outros “nãos” vieram sem seguida.

“Acabou. O Chad (le Clos) me perguntou na área do pódio e os Dwyers (família do nadador norte-americano Conor Dwyer) estavam gritando ‘quatro anos mais’”, contou o nadador.

“Eles fizeram a mesma coisa em Londres. Os caras do revezamento 4x200 m livre gritaram quatro anos mais. Não, eu NÃO vou nadar quatro anos mais”, disse. “Mantenho minha posição.”

“Fui capaz de fazer tudo o que queria neste esporte. São 24 anos de natação. Estou feliz em ver como tudo terminou.”

Em 2012, Phelps teve a sua primeira aposentadoria em Londres, mas voltou para mais um ciclo olímpico com o objetivo de dar à sua carreira o fim que ele desejava. Isso significava reconquistar o título nos 200 m borboleta, prova na qual disputou sua primeira Olimpíada, em Sydney 2000, e que lhe deu seu primeiro título e recorde mundiais, em 2001. Em Londres, Phelps perdeu essa prova na batida de mão para Le Clos.

Até agora, ele já ganhou quatro ouros e uma prata no Rio, chegando a incríveis 22 ouros. Ele ainda tem o revezamento 4x100 m medley neste sábado, mas a prova de sexta foi a sua última individual.

Após isso, Phelps vai pendurar a sunga e passar mais tempo com seus parentes. “Conseguir deixar o esporte da maneira que desejava é o motivo de eu estar feliz neste momento”, revelou. “Estou pronto para me aposentar. Estou feliz quanto a isso. Estou em melhor estado de espírito agora do que há quatro anos. E, claro, pronto para passar mais tempo com o (filho) Boomer e a (noiva) Nicole.”

Depois que o norte-americano Anthony Ervin ganhou os 50 metros livre na sexta-feira, aos 35 anos, 16 depois de vencer a prova em Sydney, sempre haverá quem pergunte se Phelps, aos 31 anos, não mudará de ideia novamente para competir em Tóquio 2020.

“Estarei em Tóquio, mas não competirei”, disse. “Chega. Acabou. Já disse muitas vezes. Chega. Eu jurei em Londres que não iria voltar, mas aqui é o fim mesmo. Se os papéis (da aposentadoria) estivessem aqui, eu os assinaria agora mesmo.”

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below