14 de Agosto de 2016 / às 17:31 / um ano atrás

Robson Conceição passa do deslumbre e da derrota em Olimpíadas passadas para lutar pelo ouro no Rio

Boxeador brasileiro Robson Conceição comemora durante Jogos Olímpicos Rio 2016 14/08/2016 REUTERS/Peter Cziborra

RIO DE JANEIRO (Reuters) - Robson Conceição esteve em duas Olimpíadas a passeio, mais interessado em trocar pins do que em buscar uma medalha, mas tudo mudou para o boxeador baiano com o nascimento da primeira filha, sua motivação principal para alcançar neste domingo a final olímpica dos Jogos do Rio.

Aos 27 anos, e após duas campanhas frustrantes em Pequim 2008 e Londres 2012, Robson conseguiu uma vitória marcante contra o cubano tricampeão mundial Lázaro Álvarez na semifinal da categoria até 60 kg, desempatando o confronto contra o rival para 2 a 1 e assegurando vaga para buscar o primeiro ouro olímpico da história do boxe brasileiro.

“Essa vitória para mim é muito importante, porque eu sou um atleta muito experiente, essa é a minha terceira Olimpíada, nas outras duas eu não tive muita sorte, não estava preparado como estou hoje. Hoje eu estou praticamente na melhor forma da minha vida, eu treinei muito, sofri muito”, disse o lutador a repórteres depois do confronto na arena montada dentro do centro de convenções Riocentro.

A vitória de Robson sofre Álvarez, campeão do mundo em 2011, 2013 e 2015, fez explodir em festa a torcida brasileira dentro da arena de boxe, que tem sido uma das mais hostis aos adversários dos brasileiros nessa Olimpíada.

Sob gritos de “vai morrer” para o cubano, Robson saiu derrotado no primeiro round, mas conseguiu reverter o combate com muita movimentação de pernas e uma sequência de golpes certeiros, em especial nos instantes finais do combate, quando houve trocação aberta de socos.

O brasileiro, vice-campeão mundial em 2013 e medalha de bronze no mundial de 2015, já tinha o bronze no Rio garantido mesmo se perdesse para o cubano, mas disse que sua meta desde 2014, quando nasceu a filha Sofia, é buscar o ouro para dedicar a ela.

Para isso o baiano afirmou ter mudado completamente o estilo de vida e a intensidade dos treinos, se comprometendo 100 por cento com o esporte, e agora está a apenas um passo de conseguir um feito inédito para o boxe do país.

“Vamos continuar na mesma força, na mesma pegada, com os pés no chão, focado, e partir para cima para ser campeão olímpico. Minha meta e ser campeão olímpico”, afirmou.

“Antes era um sonho participar de uma Olimpíada, era um sonho para mim estar nas duas últimas Olimpíadas, cheguei lá fissurado com tudo, trocando pin para todo lodo, não aquentava ver nada que ficava todo feliz, porém nessa Olimpíada até minhas redes sociais eu desliguei... Essa dedicação e essa meta foram o que me favoreceram bastante para eu chegar aqui hoje.”

O adversário do brasileiro na final olímpica saírá do confronto entre o francês Sofiane Oumiha e o mongol Otgondalai Dorjnyambuu, mais tarde neste domingo.

Segundo o técnico da equipe brasileira de boxe, Mateus Alves, os dois adversários são conhecidos do boxeador brasileiro e qualquer um deles será um adversário muito difícil.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below