ENTREVISTA-Precisamos falar sobre doping, diz nadador australiano Horton

domingo, 14 de agosto de 2016 17:05 BRT
 

Por Caroline Stauffer

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O nadador australiano que deu início a uma série de comentários antidoping durante a Olimpíada do Rio disse que não se arrepende e não tem desculpas para pedir, depois de receber centenas de milhares de mensagens de ódio nas redes sociais.

Mack Horton, de 20 anos, chamou o rival chinês Sun Yang de um dopado antes de derrotar Yang e levar a medalha de ouro na final dos 400 metros livre, em 6 de agosto, incitando o ódio dos usuários chineses nas redes sociais.

Yang, que ficou com a medalha de prata atrás de Horton, foi suspenso por três meses em 2014, depois de testar positivo para um estimulante banido. Ele disse que o estimulante era uma medicação para tratar de um problema no coração e que não melhorou seu desempenho.

"Eu não acho que preciso pedir desculpas. Eu apenas disse a verdade", disse Horton à Reuters, em entrevista, neste domingo. "Eu acho que as pessoas precisam sentir-se mais confortáveis ao falar sobre doping no esporte".

Depois do comentário de Horton, a norte-americana Lilly King apontou o dedo à nadadora russa Yulia Efimova, que foi duas vezes suspensa, e a acusou de ter trapaceado antes das baterias de 8 de agosto, comentários que foram posteriormente apoiados pela lenda Michael Phelps.

"Acho que funcionou, pois Lilly King estava obviamente mais confortável para falar sobre isso, assim como outros ateltas", disse Horton.

O doping tornou-se uma questão importante dos Jogos, com atletas falando sobre isso mais francamente do que nunca. Os comentários aumentaram as tensões entre atletas ocidentais e os que competem pela China e pela Rússia.

"Tudo foge do controle. Eu recebi 450,000 comentários de ódio em uma das minhas fotos no Instagram", disse Horton.   Continuação...

 
Nadador australiano Mack Horton. 06/08/2016   REUTERS/Stefan Wermuth