Ministro do Esporte elogia desempenho de atletas brasileiros na Olimpíada até aqui

domingo, 14 de agosto de 2016 20:11 BRT
 

Por Rodrigo Viga Gaier

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O ministro do Esporte, Leonardo Picciani, classificou como um "grande sucesso" o desempenho dos atletas brasileiros até agora na Olimpíada do Rio de Janeiro, embora as seis medalhas conquistadas até o momento deixem o país distante da meta traçada pelo Comitê Olímpico do Brasil (COB) de ficar entre as dez nações que mais subiram ao pódio nos Jogos.

Picciani evitou fazer uma previsão sobre se este objetivo será alcançado, limitando-se a dizer que uma avaliação completa da performance dos atletas brasileiros será feita após o encerramento da Olimpíada, no dia 21 deste mês.

"Faremos uma avaliação após as Olimpíadas. Ainda estamos na metade dos Jogos e disputando muitas medalhas", disse Picciani a jornalistas. "Até aqui (o Brasil) tem tido uma grande atuação nos Jogos."

Além das seis medalhas já garantidas, o Brasil terá pelo menos mais uma, de Robson Conceição, no boxe. O pugilista brasileiro lutará pela medalha de ouro em sua categoria até 60kg.

O desempenho do Brasil até aqui coloca o país na 24a posição no quadro de medalhas oficial dos Jogos, que prioriza ouro sobre prata e prata sobre bronze, ao passo que pela métrica escolhida pelo COB, a de total de medalhas, o Brasil é o 17o.

O ministro também procurou minimizar o assalto sofrido por quatro nadadores olímpicos dos Estados Unidos, entre eles a estrela Ryan Lochte, que foram roubados quando o táxi em que estavam foi parado em uma falsa blitz no Rio de Janeiro, segundo o comitê olímpico dos EUA.

Para o ministro, este tipo de incidente vivido pelos atletas norte-americanos poderia ter acontecido em qualquer cidade do mundo.

"A operação dos Jogos funciona muito bem, mas a cidade tem determinados problemas que podem ocorrer no Rio de Janeiro ou em qualquer lugar do mundo", avaliou o ministro.   Continuação...

 
Ministro do Esporte, Leonardo Picciani, dá entrevista à Reuters em Brasília
18/05/2016 REUTERS/Adriano Machado