Poliana Okimoto ganha bronze na maratona aquática, a 1ª medalha olímpica da natação feminina do Brasil

segunda-feira, 15 de agosto de 2016 12:08 BRT
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A brasileira Poliana Okimoto conquistou nesta segunda-feira medalha de bronze na maratona aquática dos Jogos do Rio de Janeiro, em resultado histórico, por se tratar do primeiro pódio olímpico da natação feminina do Brasil.

Poliana terminou a prova na praia de Copacabana na quarta colocação, mas foi beneficiada pela desclassificação da francesa Aurelie Muller, que havia terminado em segundo, mas foi eliminada por se apoiar em uma adversária na chegada da prova.

"No início você não acredita, parece que demora a cair a fica. Eu dediquei tantos anos para a natação, sem falsa modéstia, eu mereci muito essa medalha, eu construí essa medalha em cada dia, em cada treino. Foi muito merecido", disse a nadadora, emocionada, após a cerimônia de premiação.

Campeã mundial em 2013 na maratona de 10km, a brasileira de 33 anos estava entre as primeiras colocadas na parte final da prova, mas acabou sendo superada por Muller e pela italiana Rachele Bruni por pouco tempo de diferença. A medalha de ouro ficou com a holandesa Sharon van Rouwendaal.

Poliana terminou a prova em 1h56min51s4, enquanto Bruni fez 1h56min49s5 e van Rouwendaal 1h56min32s1.

"A gente lutou 13 anos em busca desse sonho e espero agora que o pessoal procure conhecer a história da Poliana, uma história muito bonita, de dedicação e comprometimento. Ela é um exemplo para todos os atletas brasileiros", disse o técnico e marido da atleta, Ricardo Cintra.

A Rio 2016 foi a terceira Olimpíada de Poliana. Em Londres 2012, ela teve que desistir da prova da maratona aquática por causa de uma hipotermia.

Em 2006, ela se tornou a primeira brasileira a conquistar medalha em um evento de longa distância em campeonatos mundiais ao levar duas pratas em Nápoles, na Itália.

A outra representante do país na prova, Ana Marcela Cunha, foi a 10ª colocada. Entre as brasileiras, Ana Marcela era considerada com potencial maior de conquistar medalha, após ser terceira colocada no Mundial de 2015 na maratona de 10 km.

(Por Tatiana Ramil)

 
Nadadora Poliana Okimoto antes de treino na praia de Copacabana.    14/03/2012      REUTERS/Sergio Moraes