Nadador norte-americano Lochte diz ter confrontado assaltantes armados no Rio

segunda-feira, 15 de agosto de 2016 12:52 BRT
 

Por Laila Kearney

(Reuters) - Inicialmente Ryan Lochte resistiu a um grupo de homens armados se passando por policiais que assaltou o vencedor de uma medalha de ouro de natação na Olimpíada do Rio de Janeiro de 2016 e três colegas de equipe norte-americanos na cidade-sede dos Jogos, disse Lochte em uma entrevista exibida nesta segunda-feira no programa "Today".

O assalto a Lochte, Gunnar Bentz, Jack Conger e Jimmy Feigen, ocorrido no início de domingo, quando voltavam de táxi a seus hotéis após uma noite de festejos, alimentou os temores com a segurança na primeira Olimpíada realizada na América do Sul.

"Fizeram nosso táxi encostar, e uns caras saíram com um distintivo, um distintivo da polícia", contou o nadador, de 32 anos, em sua primeira entrevista sobre o crime. "Eles sacaram as armas, disseram aos outros nadadores para se deitarem no chão, eles deitaram no chão."

Mas Lochte, um dos nadadores mais bem-sucedidos da história olímpica, disse que inicialmente se recusou a fazê-lo.

"Eu meio que pensei 'não fizemos nada de errado, então não vou me deitar no chão'", disse Lochte na conversa realizada em uma praia do Rio. "Aí o cara sacou a arma, engatilhou e a colocou na minha testa."

A essa altura Lochte disse ter obedecido.

"Levantei as mãos, foi uma coisa do tipo 'tanto faz'."

Os assaltantes levaram seu dinheiro e suas carteiras, disse, e deixaram os atletas ficarem com seus celulares e credenciais.

Ainda no domingo, Lochte emitiu um comunicado no qual disse: "O mais importante é que estamos em segurança e sem ferimentos."

Testemunhas relataram que os quatro nadadores saíram de um clube que realizava uma festa da delegação olímpica francesa no início do domingo, compraram pipoca de um vendedor ambulante e entraram no táxi, noticiou o "Today".

 
Ryan Lochte 
12/8/2016  REUTERS/David Gray