Brasileiro se joga na linha de chegada e garante vaga na semifinal dos 110m com barreira da Rio 2016

segunda-feira, 15 de agosto de 2016 22:10 BRT
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O brasileiro João Vitor de Oliveira lançou mão de um esforço inusitado para chegar à semifinal dos 110 metros com barreira nos Jogos Olímpicos Rio 2016 ao se jogar na linha de chegada, caindo no chão e terminando sua bateria na quarta posição, um centésimo à frente do quinto colocado.

O mergulho do atleta de 24 anos garantiu o tempo de 13s63, sua melhor marca nesta temporada, e a vaga nas semis, já que os quatro primeiros colocados de cada bateria se garantem na prova que definirá os oito finalistas da prova.

João Vitor garante que não foi a primeira vez que usou essa estratégia.

"Eu sempre faço isso. Não é um acidente. Comecei a fazer há muito tempo... Fiz isso na China, no Campeonato Mundial, e quebrei a costela. Tem gente que pede para eu não fazer, mas vou fazer. Vem do coração, estou em uma Olimpíada em casa", disse ele em entrevista após a bateria.

"Me classifiquei com a minha melhor marca na temporada. Há dois anos, vendi meu carro, meu computador, meus óculos de sol, tudo, e fui para San Diego (treinar). Depois eu fui para a Liga Diamante e agora estou aqui", disse o brasileiro, que ralou o joelho com sua chegada inesperada e tentará uma vaga na final olímpica na noite de terça-feira no Engenhão.

As semifinais terão ainda mais um brasileiro, Eder Souza, que também terminou sua bateria na quarta posição. Ele completou a prova em 13s61, sua melhor marca nesta temporada.

(Por Eduardo Simões; Edição de Tatiana Ramil)

 
João Vitor Oliveira mergulha na linha de chegada.  15/08/2016. REUTERS/Pawel Kopczynski