Cubano Mijaín López conquista terceiro ouro na luta greco-romana e iguala marca da lenda russa

terça-feira, 16 de agosto de 2016 09:43 BRT
 

Por Brad Brooks

(Reuters) - A luta olímpica da Olimpíada do Rio de Janeiro de 2016 ganhou um sabor cubano na segunda-feira, quando Mijaín López conquistou seu terceiro ouro olímpico consecutivo no estilo greco-romano, igualando o recorde estabelecido pelo lendário lutador russo Aleksandr Karelin.

López comemorou improvisando uma dança com toques de salsa e giro de quadris no meio do tapete, levando os muitos torcedores cubanos e a arena repleta de brasileiros ao delírio.

"A dança me veio naturalmente", disse o lutador momentos depois do embate. "O Brasil é o Brasil, e no Brasil você tem que dançar!"

López conquistou o ouro em uma vitória arrebatadora por 6 a 0 sobre o atual campeão mundial Riza Kayaalp, da Turquia, e alcançou a marca de Karelin --o russo levou o ouro nos Jogos de 1988, 1992 e 1996.

"Estou muito orgulhoso de ter chegado ao mesmo nível do grande Karelin, essa é uma tremenda honra", afirmou López, de 33 anos. "É maravilhoso igualar isso."

Indagado sobre quem poderia desafiá-lo agora, López disse que "minha única disputa agora é com o legado (de Karelin)".

López conquistou medalhas de ouro na categoria dos 130 quilos nos Jogos de Pequim e Londres, venceu cinco campeonatos mundiais e obteve três medalhas de prata mundiais, cimentando seu status de lenda esportiva em Cuba.

No campeonato mundial do ano passado, em Las Vegas, nos Estados Unidos, López perdeu de 1 a 0 para Kayaalp, e muitas pessoas acreditavam que a luta de domingo seria igualmente disputada.

Mas López já começou agressivo, e essencialmente venceu o combate nos primeiros 30 segundos depois de aplicar uma chave de peito e derrubar o lutador turco sobre as próprias costas, o que lhe rendeu rápidos 4 pontos.

Ele ganhou outro ponto quando seu adversário pisou fora do marcação no lance seguinte, e recebeu um último ponto por penalidade no segundo período, quando um Kayaalp frustrado o estapeou.

 
Cubano Mijaín López após conquista do ouro na Rio 2016.    15/08/2016      REUTERS/Toru Hanai