16 de Agosto de 2016 / às 21:42 / um ano atrás

Marta lamenta chances desperdiçadas na semifinal contra Suécia

Jogadoras do Brasil consolam Marta após derrota nos pênaltis. 16/08/2016. REUTERS/Bruno Kelly

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A meia-atacante Marta lamentou nesta terça-feira as chances perdidas pelo Brasil na derrota nos pênaltis para a Suécia, pela semifinal dos Jogos Olímpicos do Rio, que tirou a chance de a seleção feminina de futebol tentar a inédita medalha de ouro em Olimpíadas.

O Brasil finalizou 33 vezes contra as suecas, que tiveram apenas seis conclusões no empate de 0 x 0 no Maracanã.

“A decepção é grande e tivemos muitas oportunidades na partida, mas não conseguimos fazer o gol”, disse a capitã brasileira, eleita por cinco vezes a melhor jogadora do mundo.

“A dor é a mesma aqui (em casa) ou fora. A gente não queria decepcionar o povo que vem nos apoiando nesse tempo todo”, acrescentou Marta.

A seleção completou nas semifinais três partidas seguidas sem marcar gol. Segundo Marta, as adversárias do Brasil nos Jogos sempre atuaram retrancadas.

“As equipes que jogaram com a gente atuaram com as 11 atrás; não faltou oportunidade. A bola não entrou”, disse Marta. “A gente treinou essas situações. A gente precisava de um gol para dar uma quebrada nas adversárias”, complementou a camisa 10.

Na fase de classificação, a seleção brasileira goleou as suecas por 5 x 1 e também venceu a China por 3 x 0, nas duas primeiras partidas da Rio 2016.

Aos 30 anos, Marta pode ter participado da sua última Olimpíada pela seleção, mas por enquanto evita falar sobre o assunto.

“Eu não consigo pensar nada agora“, disse ela, ao ser questionada sobre a possível aposentadoria da seleção.

O clima na saída do vestiário do Brasil era de extrema tristeza e quase todas as jogadoras estavam chorando por conta da derrota nos pênaltis.

“Eu assumo a responsabilidade“, disse a experiente atacante Cristiane, que entrou na prorrogação e perdeu uma das duas cobranças do Brasil.

“Não sei se com a medalha de ouro o futebol feminino mudaria no Brasil. A gente já conquistou três pratas, sendo uma em Copa do Mundo e duas olímpicas, e até agora não aconteceu nada. Você não pode ajudar só quando ganha. O futebol feminino ainda não é cultural no Brasil”, finalizou a atacante.

O Brasil lutará pela medalha de bronze na sexta-feira, em São Paulo, contra o Canadá, que perdeu para a Alemanha na outra semifinal.

Por Rodrigo Viga Gaier

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below