Brasil está pronto para controlar ansiedade e pressão no Maracanã, diz Gabriel

terça-feira, 16 de agosto de 2016 19:24 BRT
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A seleção brasileira de futebol está pronta para administrar a ansiedade e a pressão que cercam o jogo de semifinal da Olimpíada, contra Honduras, no Maracanã, disse o atacante Gabriel nesta terça-feira, véspera da partida.

Uma vitória coloca o Brasil mais uma vez perto do sonho do inédito ouro olímpico no futebol. Nesta terça, a seleção feminina perdeu nos pênaltis para a Suécia e deu adeus à busca pelo ouro. Os jogadores do time masculino acompanharam da concentração a derrota do Brasil nas penalidades por 4 x 3.

“Não tem pressão a mais não. Jogar na seleção é isso, pressão muito alta. O Maracanã vai estar lotado e vamos fazer com que essa pressão seja motivante“, declarou o atacante do Santos.

A perspectiva é que o Maracanã esteja lotado novamente, assim como na semifinal feminina, que teve público superior a 70 mil espectadores.

O atacante Gabriel, conhecido como Gabigol, acredita que o time brasileiro não precisa se preocupar com a cobrança da torcida no Maracanã.

“Estamos acostumados com pressão desde pequeno, já disputamos finais e semi desde pequeno. Estamos bem preparados. A torcida não vai entrar em campo para agredir a gente. Vamos entrar em campo e nos divertir. A torcida não nos dá medo ou terror. Acho que será maravilhoso jogar no Maracanã lotado”, declarou ele.

O atacante Luan, jogador do Grêmio, prevê um time fechado de Honduras. “Desde o primeiro jogo, as equipes vieram mais recuadas e temos em mente que pode ser assim (com Honduras). Temos que manter a tranquilidade e jogar com consciência”, disse.

O Brasil deve jogar na quarta-feira com Weverton, Zeca, Marquinhos, Rodrigo Caio e Douglas Santos; Walace, Renato Augusto e Luan, Gabriel Jesus, Gabigol e Neymar.

(Por Rodrigo Viga Gaier)

 
Gabriel cumprimenta Neymar em jogo do Brasil. 10/08/2016.  REUTERS/Fernando Donasci