Corredoras negras dos EUA vencem obstáculos simbólicos e reais nos 100m com barreiras da Rio 2016

quinta-feira, 18 de agosto de 2016 08:55 BRT
 

Por Nick Mulvenney

RIO DE JANEIRO (Reuters) - Como muitas mulheres negras nos Estados Unidos, Brianna Rollins, Nia Ali e Kristi Castlin enfrentaram alguns obstáculos metafóricos em suas vidas.

Na quarta-feira, porém, eles superaram com sucesso 10 obstáculos bastante físicos --cerca de 82,5 centímetros de policarbonato e metal-- e deram aos Estados Unidos as medalhas de ouro, prata e bronze nos 100 metros com barreiras da Olimpíada do Rio de Janeiro de 2016.

Foi a primeira vez que mulheres de uma mesma nação ocuparam todo o pódio da competição nos Jogos, o que ilustrou o envolvimento dos EUA com uma prova na qual passar nas seletivas nacionais é uma conquista por si só.

Como a detentora do recorde mundial, Kendra Harrison, e a campeã olímpica de 2008, Dawn Harper, não conseguiram passar pela seletiva norte-americana, o trio que conseguiu embarcar para o Rio decidiu trabalhar em conjunto.

A medalhista de ouro Brianna descreveu o trabalho em equipe como uma "irmandade", e Kristi deu um toque bem 2016 usando uma frase vista com mais frequência nas redes sociais com uma hashtag à sua frente.

"Acho que é simplesmente muito bom ser parte de todo este movimento de mágica da garota negra", disse. "Na verdade entramos nisso não como indivíduos, mas como uma equipe. Trabalhamos juntas, rezamos juntas, e foi assim que demos conta do recado".

"Dá uma sensação boa a certeza de que fizemos história, que ditamos moda, que somos mães, filhas, simplesmente nos superando e fazendo um ótimo trabalho e representando bem nosso país."

Kristi dedicou sua medalha de bronze às vítimas de crimes com arma de fogo, uma causa que lhe é muito cara desde que seu pai foi assassinado durante uma tentativa frustrada de assalto a um hotel em que trabalhava como gerente.   Continuação...

 
Atletas norte-americanas Kristi Castlin, medalha de bronze; Brianna Rollins, medalha de ouro, e Nia Ali, medalha de prata, comemoram resultado dos 100 metros com barreira na Rio 2016
17/08/2016 REUTERS/Dylan Martinez