Polícia do Rio diz que nadadores não foram roubados e podem ser indiciados

quinta-feira, 18 de agosto de 2016 20:19 BRT
 

Por Rodrigo Viga Gaier

RIO DE JANEIRO (Reuters) - Os nadadores norte-americanos que alegaram ter sido assaltados durante os Jogos Olímpicos no Rio não foram roubados, como relataram inicialmente às autoridades, e podem ser indiciados após terem cometido atos de vandalismo dentro de um posto de gasolina, disse nesta quinta-feira o chefe da Polícia Civil do Rio de Janeiro, Fernando Veloso.

Veloso afirmou, em entrevista coletiva, que a conclusão preliminar da investigação indica que os nadadores provocaram atos de vandalismo em um posto de gasolina, após saírem de uma festa de madrugada no Rio, e se envolveram em uma confusão com seguranças do estabelecimento.

"Eles não foram vítimas dos assaltos criminosos que descreveram ter sido, a polícia já pode afirmar isso", disse Veloso, que confirmou que uma arma foi apontada por um segurança contra os nadadores.

Segundo o delegado e chefe da polícia civil, a versão apresentada pelos atletas visava proteger o nadador Ryan Lochte, que estaria sendo aguardado pela namorada, mas perdeu a hora numa comemoração com os amigos. O delegado destacou, sem citar nomes, que duas mulheres que se envolveram com os atletas já foram identificadas pela polícia e colaboraram com as investigações, assim como o taxista que levou os nadadores para a Vila dos Atletas (na manhã de domingo) e os segurança dos posto de gasolina.

Os seguranças seriam agentes penitenciários que agiram, em princípio, dentro da legalidade, pois tinham porte de arma e não cometeram excessos, segundo Veloso

De acordo com o chefe da Polícia Civil, em tese a conduta dos atletas dos EUA pode configurar crime de falsa comunicação de crime e dano ao patrimônio, mas ele não poderia confirmar indiciamento.

"Nós ainda não temos a conclusão, portanto não vou responder a perguntas sobre quais crimes eles vão responder, porque as medidas necessárias para esse esclarecimento ainda não foram concluídas", afirmou.

O chefe da Polícia Civil explicou que um ou mais atletas promoveram vandalismo no banheiro do posto de gasolina, quebrando alguns acessórios, como espelho e saboneteira. Quando funcionários do posto perceberam o que estava acontecendo, os seguranças interpelaram o taxista para que ele não saísse do local e aguardasse a chegada da viatura policial.   Continuação...

 
Nadadores olímpicos norte-americanos Jack Conger e Gunnar Bentz deixam delegacia após interrogatório no Rio de Janeiro
18/08/2016 REUTERS/Ueslei Marcelino