Temer vê Olimpíada com absoluta segurança e pede entusiasmo com Paralimpíada

quinta-feira, 18 de agosto de 2016 19:20 BRT
 

Por Eduardo Simões

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O presidente interino Michel Temer disse nesta quinta-feira que os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro estão acontecendo com "segurança absoluta" e pediu aos brasileiros que tenham nos Jogos Paralímpicos, que serão realizados em setembro no Rio, o mesmo entusiasmo que têm mostrado na Olimpíada.

Temer esteve reunido por cerca de duas horas no Parque Olímpico do Rio com o presidente do Comitê Organizador da Rio 2016, com o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL) e com alguns ministros, como Eliseu Padilha (Casa Civil), Alexandre de Moraes (Justiça), Raul Jungmann (Defesa), além do prefeito do Rio, Eduardo Paes, e dos governadores em exercício e licenciado do Estado, Francisco Dornelles e Luiz Fernando Pezão.

"O que nós assistimos desde o momento da abertura da Olimpíada, daquele espetáculo maravilhoso a que todos assistimos, foi a tranquilidade absoluta no Rio de Janeiro", disse Temer.

"Houve segurança absoluta por conta da interação que se deu entre União, Estado e município", acrescentou o presidente interino em breve declaração de menos de três minutos a jornalistas.

Apesar das declarações de Temer, o Rio registrou episódios de violência durante os Jogos. Foram registradas duas balas perdidas no centro de hipismo em Deodoro e um ônibus que transportava jornalistas foi atingido por pedras, segundo a polícia. Pessoas que estavam no veículo relataram ter ouvido um disparo.

Houve ainda relatos de atletas assaltados, como um integrante da delegação da Grã-Bretanha. O caso mais notório, no entanto, envolveu quatro nadadores dos Estados Unidos, entre eles o medalhista de ouro Ryan Lochte, que disseram ter sido assaltados a mão armada no fim de semana.

A polícia, entretanto, disse que ao investigar o caso foi detectado que não houve assalto, mas sim um episódio dos atletas em um posto de gasolina, em que teriam cometido atos de vandalismo, e uma discussão com seguranças do local.

"Haverá, portanto, um reconhecimento mundial da capacidade de organização e de estruturação do Estado brasileiro em face de um evento internacional", disse Temer.   Continuação...