Halterofilista do Quirquistão perde medalha por doping com veneno de rato

quinta-feira, 18 de agosto de 2016 21:34 BRT
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O halterofilista medalhista de bronze na Rio 2016 Izzat Artykov teve sua medalha retirada nesta quinta-feira, após ter sido encontrado o veneno de rato estricnina no seu corpo.

O levantador de peso do Quirguistão se tornou o primeiro medalhista nos Jogos a testar positivo para uma substância proibida, informou a Corte Arbitral do Esporte.

A estricnina, um alcalóide altamente tóxico, é normalmente usada como pesticida para matar roedores. Quando ingerido, a estricnina provoca convulsões musculares antes de morte por asfixia.

Pensava-se, no passado, que essas convulsões poderiam ser benéficas, e no fim do século 19 e começo do século 20 a substância era utilizada em pequenas doses como potencializador de desempenho atlético, e como estimulante recreativo.

A estricnina, supostamente utilizada por ciclistas nos primeiros tempos da Tour de France, é definida como um estimulante na lista de substâncias proibidas da Agência Mundial Antidoping.

(Por Ossian Shine)