Dirigente olímpico irlandês é levado para complexo penitenciário de Bangu

sexta-feira, 19 de agosto de 2016 14:23 BRT
 

Por Ossian Shine

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O membro do Comitê Olímpico Internacional (COI) Patrick Hickey foi levado nesta sexta-feira para o complexo penitenciário de Bangu, no Rio de Janeiro, enquanto a polícia investiga seu envolvimento em esquema de venda ilegal de ingressos da Rio 2016, informou a Polícia Civil.

O irlandês foi preso durante operação na manhã da quarta-feira no hotel de luxo em que estava com sua esposa e membros do COI.

A polícia informou que descobriu evidências que ligam Hickey ao esquema internacional de repasse ilegal de ingressos para revenda acima do preço original.

Hickey, de 71 anos, foi levado para um hospital na Barra da Tijuca, após sentir dores no peito. Ele passou a noite internado antes de ser levado, na quinta-feira, sob custódia policial para uma delegacia.

Ele teve fiança negada por uma juíza brasileira e foi transferido para Bangu, complexo penitenciário no Rio. Com mais de dez unidades separadas pela região, o complexo de Bangu é conhecido pela violência e rebeliões.

É provável, no entanto, que Hickey seja colocado em uma área separada da população carcerária.

O Conselho Olímpico da Irlanda informou nesta sexta-feira que irá iniciar uma investigação independente sobre as acusações que levaram à prisão do presidente.

Hickey se afastou temporariamente do conselho olímpico irlandês e de sua função como presidente do Comitê Olímpico Europeu durante a investigação.

 
Patrick Hickey durante evento em Washington.  29/10/2015.  Reuters/Geoff Burke-USA TODAY Sports