Porta-bandeira do Brasil Yane Marques fica apenas em 23º no pentatlo moderno

sexta-feira, 19 de agosto de 2016 19:22 BRT
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A brasileira Yane Marques não conseguiu repetir nos Jogos Rio 2016 o bom desempenho de quatro anos atrás, quando foi medalhista de bronze em Londres, e terminou a prova do pentatlo moderno apenas na 23ª posição, nesta sexta-feira.

Yane, porta-bandeira do Brasil na cerimônia de abertura dos Jogos, fez 1269 pontos e ficou bastante atrás da campeã olímpica, a australiana Chloe Esposito, que conseguiu 1372 pontos, novo recorde olímpico, após uma ótima performance na última prova, uma combinação de corrida e tiro.

A medalha de prata ficou com a francesa Elodie Clouvel e a de bronze com a polonesa Oktawia Nowacka, que liderava depois das provas de esgrima, natação e hipismo.

Yane teve uma atuação ruim na esgrima e na natação, se recuperou um pouco no salto do hipismo, mas saiu em 17º lugar para a prova combinada de tiro e corrida e não conseguiu melhorar a colocação.

A pentatleta pernambucana venceu uma votação pela internet para ser a porta-bandeira do Brasil na cerimônia de abertura da Olimpíada do Rio, derrotando na disputa o iatista Robert Scheidt, porta-bandeira em Pequim 2008, e o líbero da seleção brasileira de vôlei Serginho.

Essa foi a terceira participação olímpica de Yane, de 32 anos, que em Pequim 2008 ficou em 18º lugar.

(Por Tatiana Ramil)

 
Yane Marques durante os Jogos do Rio. 18/06/2018  REUTERS/Jeremy Lee