19 de Agosto de 2016 / às 22:52 / em um ano

Lochte se desculpa e colega de equipe paga multa por mentira para polícia do Rio

Cartaz chamando Ryan Lochte de mentiroso no Estádio Olímpico do Rio. 18/08/2016 REUTERS/Dominic Ebenbichler

MIAMI/RIO DE JANEIRO (Reuters) - O nadador norte-americano campeão olímpico Ryan Lochte divulgou um pedido de desculpas nesta sexta-feira, e seu colega de equipe Jimmy Feigen pagou 35 mil reais a uma instituição de caridade do Rio, depois que a polícia disse que os atletas mentiram ao afirmar que foram assaltados à mão armada no fim de semana durante a Olimpíada.

Os organizadores dos Jogos Rio 2016 agora esperam que o reconhecimento dos nadadores, combinado a um pedido de desculpas oficial do Comitê Olímpico dos Estados Unidos, ponha fim à polêmica que dominou a cobertura jornalística dos primeiros Jogos Olímpicos realizados na América do Sul.

Lochte, que voltou para os EUA no dia seguinte ao incidente de domingo em um posto de combustível, disse que deveria ter sido mais cuidadoso e sincero em seu relato, mas que foi traumático ver um homem apontar uma arma para ele e pedir dinheiro em um país estrangeiro.

O atleta de 32 anos, um dos nadadores norte-americanos mais condecorados da história e o mais falante sobre o ocorrido, havia dito a princípio que ele, Feigen e dois outros colegas de equipe, Gunnar Bentz e Jack Conger, tinham sido abordados por homens armados que se passavam por policiais e que roubaram 400 dólares do grupo quando os norte-americanos voltavam de uma festa em um táxi.

Mas a polícia disse se tratar de uma mentira, e o prefeito do Rio, Eduardo Paes, afirmou nesta sexta-feira que sente “pena e desprezo” pelos nadadores. [nL1N1B00QA]

Segundo a polícia, um dos nadadores vandalizou um posto de gasolina depois que o grupo parou o táxi no local para usar o banheiro. Os atletas começaram uma discussão com funcionários do posto, que exigiram compensação pelos danos, acrescentou a polícia.

Depois que imagens de câmeras de vigilância do incidente vieram à tona, o Comitê Olímpico dos EUA admitiu ter se tratado de um ato de vandalismo e se desculpou pelo comportamento dos nadadores.

Separadamente, Lochte disse em sua conta de Instagram: “Quero me desculpar por meu comportamento no último fim de semana”, em meio a uma verdadeira tempestade nas redes sociais sobre o nadadores tanto nos Estados Unidos como no Brasil. [nL1N1B00TY]

“Independentemente do comportamento de qualquer outra pessoa naquela noite, eu deveria ter sido muito mais responsável na maneira como me comportei, e por isso peço desculpas a meus colegas de equipe, meus fãs, os outros competidores, meus patrocinadores e os anfitriões deste grande evento”.

Jornais norte-americanos o apelidaram de “O Americano Feio” e “O Monstro da Bagunça Lochte”, fazendo um trocadilho com o famoso Monstro do Lago Ness (no original em inglês “The Lochte Mess Monster”), se voltando contra o antes adorado campeão olímpico e dizendo que seu comportamento alimentou os piores estereótipos de cidadãos dos EUA no exterior. [nL1N1B013R]

INSTITUTO REAÇÃO     

A polícia do Rio disse que Feigen, o último dos quatro nadadores ainda no Brasil, concordou em uma audiência com uma juíza na madrugada desta sexta-feira em pagar multa de 35 mil reais por ter prestado falso testemunho. O dinheiro será destinado a uma instituição esportiva de caridade.

A entidade em questão, o Instituto Reação, leva a prática do esporte a comunidades de baixa renda e revelou, por exemplo, a judoca campeã olímpica no Rio Rafaela Silva.

Uma fonte da polícia informou que o passaporte de Feigen seria devolvido assim que ele efetuasse o pagamento e apresentasse um recibo.

O Ministério Público do Rio de Janeiro, que havia pedido uma multa de 150 mil reais para Feigen, entrou com um recurso contra o valor de 35 mil reais da penalidade imposta ao nadador, mas o próprio MPRJ informou que o recurso não impede Feigen de deixar o país. [nL1N1B01OL]

A polícia ainda quer ouvir Lochte, que também foi intimado a comparecer perante a juíza do Juizado Especial do Torcedor e dos Grandes Eventos, e diz que espera chegar a um acordo com as autoridades dos EUA para interrogá-lo em seu país.

Bentz e Conger desembarcaram em Miami nesta sexta a bordo de um voo da American Airlines que decolou do Rio na quinta à noite, e ficaram sentados atrás de uma cortina pela maior parte da viagem. Eles tinham sido retirados pela polícia de um voo na véspera.

Em seus depoimentos revisados após a divulgação dos vídeos, Bentz e Conger disseram que não foram assaltados, afirmou o delegado Alexandre Braga à Reuters. Em vez disso, eles disseram que Lochte vandalizou um posto de gasolina na madrugada de domingo e teve uma discussão com um segurança.

O incidente ocorreu na esteira de roubos e assaltos à mão armada de atletas de destaque e visitantes do Rio, incluindo dois ministros de governos estrangeiros.

“A população brasileira irá aceitar suas desculpas, queremos encerrar este assunto e não vejo isso como um fato que irá marcar estes Jogos”, disse o porta-voz da Rio 2016, Mario Andrada, a respeito do pedido de desculpas de Lochte.

O Comitê Olímpico Internacional anunciou nesta sexta-feira que criou uma comissão disciplinar para investigar o incidente e que pode punir os nadadores. O Comitê Olímpicos dos EUA e a federação de natação do país disseram que ainda vão avaliaram se tomarão medidas contra os atletas. [nL1N1B01ML]

Reportagem adicional de Rodrigo Viga Gaier, Paulo Prada, Caio Saad, Brad Brooks, Brad Haynes, Pedro Fonseca e Liana B. Baker

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below