Qualquer risco a delatora russa Stepanova não é problema do COI, diz Bach

sábado, 20 de agosto de 2016 18:27 BRT
 

Por Karolos Grohmann

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A russa Yulia Stepanova pode estar em risco depois de ter delatado o esquema de doping praticado em seu país, o que gerou um enorme escândalo e a obrigou a fugir, mas isso não é de responsabilidade do Comitê Olímpico Internacional (COI), disse a entidade neste sábado.

Corredora de média distância e flagrada em doping anteriormente, Stepanova ajudou a revelar um programa sistemático de doping patrocinado pelo governo russo. A denúncia levou à suspensão de mais de 100 atletas russos da Olimpíada, incluindo praticamente toda a equipe de atletismo.

Ela foi então forçada a se esconder nos Estados Unidos com seu marido Vitaly, um ex-oficial da agência antidoping russa, depois de eles terem fornecido provas de que o governo facilitou a dopagem generalizada em quase todos os esportes olímpicos.

A Agência Mundial Antidoping (Wada, na sigla em inglês) disse na semana passada que a conta online sobre o caso de doping de Stepanova, onde estão registrados a localização e endereço da atleta, foi acessada ilegalmente.

O presidente do COI, Thomas Bach, em resposta a uma pergunta sobre a aparente falta de apoio do COI a Stepanova, disse: “Tenho que negar isso. Não somos responsáveis pelos perigos aos quais a senhora Stepanova possa estar exposta”.

Stepanova disse na semana passada que o acesso a sua conta foi feito deliberadamente para descobrir seu paradeiro. Ela foi rotulada como traidora por muitas pessoas na Rússia.

“Se algo acontecer a nós, então vocês devem saber que isso não será um acidente”, disse Stepanova em uma entrevista por teleconferência há alguns dias.

 
Atleta russa Yulia Stepanova compete em Amsterdã
07/06/2016 REUTERS/Michael Kooren/Foto de Arquivo