Nadador norte-americano Lochte pede desculpas ao Brasil

sábado, 20 de agosto de 2016 23:08 BRT
 

Por Brad Brooks

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O nadador medalhista de ouro pelos Estados Unidos Ryan Lochte admitiu em entrevista à TV Globo neste sábado que exagerou ao contar a história de que teria sofrido um assalto à mão armada no Rio de Janeiro, mas insistiu que não mentiu sobre o assunto.

Na entrevista que foi ao ar no Jornal Nacional, Lochte também pediu desculpas ao Brasil pelo incidente.

"Peço desculpas", disse Lochte, um dos nadadores mais condecorados dos EUA. "O Brasil não merecia isso."

O atleta insistiu ter sido vítima de extorsão, porque disse ter sido forçado por seguranças armados a entregar dinheiro.

"Eu não estava mentindo até certo ponto, eu exagerei o que estava acontecendo comigo", disse.

O relato de um assalto à mão armada no Rio inicialmente constrangeu o Brasil até que a polícia do Rio acusou Lochte, de 32 anos, de inventar a história para acobertar atos de vandalismo cometidos em um posto de gasolina.

Em trechos de uma entrevista dada por Lochte à emissora norte-americana NBC, Lochte pediu desculpas para seus colegas nadadores Jimmy Feigen, 26, Jack Conger, 21, e Gunnar Bentz, 20, que foram impedidos pela polícia de deixar o Brasil.

Quando questionados qual a sensação que teve ao ver seus companheiros de equipe mantidos no Brasil, Lochte disse que ficou "ferido".

"Quero dizer, desapontei minha equipe e você sabe, não quero que eles pensem que eu os abandonei."

 
Nadador norte-americano Ryan Lochte durante prova na Rio 2016
10/08/2016 REUTERS/Michael Dalder