Serginho "sai da UTI" durante Olimpíada para ser bicampeão olímpico no Rio

domingo, 21 de agosto de 2016 18:07 BRT
 

Por Eduardo Simões

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O líbero Serginho, jogador mais festejado nas comemorações pelo tricampeonato olímpico do vôlei masculino do Brasil neste domingo no Maracanãzinho, teve de "sair da UTI", como ele mesmo disse, para dar a volta por cima com a seleção e conquistar a segunda medalha de ouro olímpica, a quarta no total, nos Jogos Rio 2016.

O jogador de 40 anos, que havia conquistado ouro em Atenas 2004 e prata em Pequim 2008 e Londres 2012, contou que conversou com os companheiros de equipe antes da partida contra a França, ainda na primeira fase da Rio 2016, quando uma derrota resultaria na eliminação precoce do Brasil.

"Eu falei para eles 'eu estou me sentindo como se eu estivesse em uma UTI'. Eu tinha perguntado para eles se eles já tinham visto alguém na UTI, eles disseram que nunca viram alguém na UTI. Eu já vi gente na UTI, já vi alguns parentes na UTI", disse Serginho, que com o ouro no Rio se tornou o maior medalhista olímpico brasileiro em esportes coletivos.

"Eu falei 'cara, eu estou me sentindo na UTI, então nessa Olimpíada eu vou lutar pela minha vida, para sobreviver, e vocês vão lutar para me tirar dessa UTI'. E os caras fizeram isso, eles entenderam. Porque era minha última Olimpíada, era a minha última tentativa de ser bicampeão olímpico. Querendo ou não, a maioria deles têm outro ciclo olímpico, todos eles têm."

Jogador mais experiente da seleção, Serginho foi jogado para o alto pelos companheiros durante a cerimônia de premiação no Maracanãzinho, em uma reconhecimento de seus colegas da importância que teve na geração de atletas mais novos que ele.

"Uma coisa que ele falou e que tocou bastante a gente foi que ele não teria outra chance, nós teríamos", disse Wallace, principal pontuador do Brasil na vitória por 3 sets a 0 sobre a Itália na final olímpica.

"Esse título ele merece demais, foi dedicado totalmente a ele, porque ele é um cara que se doou ao máximo e em momento algum tirou o pé", acrescentou.

  Continuação...

 
Líbero Serginho chora ao mostrar medalha de ouro conquistada com a seleção masculina de vôlei do Brasil
21/08/2016 REUTERS/Yves Herman