Venezuela perde direito de sediar Copa Davis contra Peru por motivos de segurança

quinta-feira, 8 de setembro de 2016 15:15 BRT
 

CARACAS (Reuters) - A Federação Internacional de Tênis (ITF) decidiu que, por motivos de segurança, a Venezuela não poderá mais ser a sede da final para o acesso ao Grupo I da zona americana da Copa Davis, contra o Peru, disseram nesta quinta-feira autoridades do país.

Venezuela e Peru se enfrentam entre 16 e 18 de setembro para tentar voltar ao Grupo I, do qual a equipe caribenha foi rebaixada em 2014.

"Nos surpreendemos porque em nenhum momento tivemos comentários negativos sobre segurança", disse Luis Contreras, presidente da Federação Venezuelana de Tênis (FVT), em entrevista coletiva. "É uma decisão injusta, em todos os pontos de vista".

Contreras disse ter recorrido da decisão, mas sem êxito.

A Venezuela ostenta uma das maiores taxas de assassinatos do mundo e instabilidade política, com a oposição pedindo referendo pela saída do presidente Nicolás Maduro, e governistas acusando adversários de tentativa de golpe de Estado.

Delegações de atletas que chegaram ao país para disputar copas internacionais ou eliminatórias sul-americanas tiveram que levar seus próprios remédios e produtos de higiene, que estão em falta no país.

"Agora a ITF é uma organização política e econômica? Por que não suspende a Copa Davis na França, que sofreu dois atentados? Por que suspende a Venezuela?", disse o presidente do Comitê Olímpico Venezuelano, Eduardo Álvarez.

Álvarez propôs que o jogo contra o Peru seja realizado em Cuba, porque "existem interesses dos assessores (da ITF) para que seja realizado em Miami ou Aruba".

(Reportagem de Daniel Kai)