Não tenho mais nada a provar, diz nova número 1 do mundo no tênis Kerber

terça-feira, 13 de setembro de 2016 11:51 BRT
 

MUNIQUE (Reuters) - Alçada recentemente à posição de número um do mundo, a tenista alemã Angelique Kerber disse nesta terça-feira que não tem mais nada para provar depois de conquistar seu segundo título de Grand Slam do ano ao vencer o Aberto dos Estados Unidos e garantir seu lugar nos livros de recordes.

A alemã de 28 anos se tornou a tenista mais velha a chegar ao topo do ranking quando a lista atualizada foi publicada na segunda-feira, coroando um segundo semestre memorável que incluiu a medalha de prata na Olimpíada do Rio e a disputa da final de Wimbledon.

Sua conquista no Rio foi seguida por um vice-campeonato no torneio de Cincinnati contra Katerina Pliskova, que ela veio a derrotar na decisão do U.S. Open.

"Em Cincinnati, foi onde as perguntas sobre o número um começaram a surgir, e foi onde a pressão adicional começou", disse.

Kerber começou o ano conquistando o Aberto da Austrália, mas disse que seu triunfo em Nova York no sábado, somado à primeira posição do ranking, acabou com a pressão.

"Vencer o segundo Grand Slam foi um pouco diferente", disse a tenista em entrevista coletiva em Munique após sua volta para casa. "Não tenho mais nada para provar. Estou no topo, número um. Esperei esse momento a vida inteira", disse.

"Melbourne foi diferente, já que foi meu primeiro Grand Slam. Tive que lidar com muitas coisas fora da quadra depois daquilo".

 
Campeã do U.S. Open e nova número 1 do mundo no tênis, Angelique Kerber, posa para fotos em Munique. 13/09/2016 REUTERS/Michaela Rehle