Técnicos de luta olímpica da Mongólia são suspensos por se despirem na Rio 2016

quarta-feira, 21 de setembro de 2016 20:12 BRT
 

(Reuters) - Dois treinadores de luta olímpica da Mongólia, que tiraram a roupa para protestar contra os juízes na Olimpíada do Rio no mês passado, foram suspensos por três anos, afirmou a federação internacional do esporte nesta quarta-feira.

A federação da Mongólia também foi multada em 50 mil francos suíços (51.366 dólares), afirmou a federação internacional no Twitter.

Tserenbaatar Tsogtbayar e Byambarenchin Bayaraa tiraram a roupa e arremessaram os calçados quando Mandakhnaran Ganzorig, lutador deles, não ganhou a luta porque teria evitado o oponente do Uzbequistão nos últimos segundos da disputa da medalha de bronze.

Ganzorig, que vencia Ikhtiyor Navruzov por sete pontos contra seis, provocou o adversário dançando ao redor dele nos últimos 18 segundos da luta da categoria de 65 quilos e foi então carregado em triunfo no ringue por um dos treinadores.

Contudo, os juízes ajustaram o placar para 7 a 7, penalizando o lutador da Mongólia por fugir da luta, e deram mais um ponto para o adversário depois que um desafio da Mongólia foi rejeitado.

Os dois treinadores da Mongólia avançaram em direção aos juízes, tiraram as camisas e os calçados e os arremessaram no chão. Um deles tirou a calça e protestou com os juízes vestindo nada mais do que uma cueca.

 
Técnicos da Mongólia tiram a roupa em protesto na Rio 2016.  21/08/2016.  REUTERS/Issei Kato