COI pune três boxeadores por fazerem apostas em lutas durante a Rio 2016

quarta-feira, 28 de setembro de 2016 13:18 BRT
 

(Reuters) - Três boxeadores olímpicos, incluindo o peso galo irlandês Michael Conlon, que acusou os juízes de terem roubado sua vitória, foram punidos pelo Comitê Olímpico Internacional (COI) por apostarem em lutas durante a Olimpíada do Rio de Janeiro de 2016.

O COI disse nesta quarta-feira que Conlon, o compatriota Steven Donnelly e o britânico Antony Fowler receberam reprimendas severas pela violação dos regulamentos. Eles também serão obrigados a frequentar e contribuir para programas de integridade educacional para poderem disputar vagas nos Jogos de Tóquio de 2020.

Conlon, que ainda no Rio prometeu nunca mais lutar em qualquer competição organizada pela Associação Internacional de Boxe Amador (Aiba) depois de sua derrota para o russo Vladimir Nikitin nas quartas de final, se tornou profissional desde então.

A comissão disciplinar do COI disse que o pugilista de 24 anos fez ao menos duas apostas em sua própria categoria de peso, mas não em suas lutas, nos dias 8 e 9 de agosto. Ele perdeu todas as apostas, de valores relativamente baixos.

O atleta compareceu a uma audiência no Rio em 20 de agosto e confirmou as apostas, dizendo que assinou sem ler um contrato da equipe irlandesa que mencionava a proibição em apostas em competições olímpicas.

Conlon, medalhista de bronze da categoria peso mosca em 2012, acrescentou que ficou entediado na Vila dos Atletas e que fez as apostas para passar o tempo.

Fowler perdeu sua primeira disputa de peso médio na Rio 2016, e Donnelly foi nocauteado nas quartas de final do peso meio-médio.

O COI afirmou que Donnelly fez oito apostas cumulativas, duas delas na vitória de seu adversário mongol Tuvshinbat Byamba. Donnelly, porém, venceu a luta e perdeu o dinheiro.

(Por Alan Baldwin e Shravanth Vijayakumar)

 
Boxeador olímpico britânico Antony Fowler durante competição na Rio 2016.    08/08/2016       REUTERS/Peter Cziborra