Murray corre atrás de Djokovic e chega a final do Aberto da China

sábado, 8 de outubro de 2016 15:00 BRT
 

(Reuters) - O tenista Andy Murray continuou buscando alcançar Novak Djokovic na corrida para encerrar o ano como número um no ranking da ATP, com uma vitória esmagadora de 6-2 6-3 contra o espanhol David Ferrer para alcançar a final do Aberto da China neste sábado.

O atleta de 29 anos, que ainda não perdeu um set em Pequim, cravou sua sétima vitória consecutiva sobre o obstinado Ferrer para chegar a uma final contra o búlgaro Grigor Dimitrov.

Dimitrov teve uma vitória fácil em sua semi-final, depois que o canadense Milos Raonic desistiu do jogo devido a uma lesão no tornozelo.

Já que Djokovic não defenderá seu título na China por conta de um problema no cotovelo, Murray tem a oportunidade de reduzir a distância para 1.555 pontos se ganhar o título.

Apesar da distância considerável, o jogador britânico poderia conseguir uma reviravolta com uma forte finalização da temporada.

“Senti que se pudesse encontrar uma forma de passar pelas primeiras partidas, começaria a me sentir melhor e jogar melhor aqui”, disse Murray, que teve um verão exaustivo no qual venceu as competições de Wimbledon e as Olimpíadas.

“Felizmente esse tem sido o caso até o momento nesta semana. Tentarei jogar outra partida de alto nível amanhã”.

(Por Ian Rodricks)