Derrotado em Suzuka, Hamilton promete lutar pelo título da F1

domingo, 9 de outubro de 2016 14:57 BRT
 

SUZUKA, Japão (Reuters) - Lewis Hamilton prometeu dar seu melhor na busca do quarto título da Fórmula 1, que escorregou um pouco mais após ficar com o terceiro lugar no Grande Prêmio do Japão deste domingo.

Na semana passada, a esperança do britânico pelo título sofreu um golpe esmagador ao ter de abandonar a prova na Malásia devido a uma falha no motor.

Neste domingo, o piloto iniciou a corrida determinado a ocupar a liderança do campeonato, mas o começo de prova difícil aniquilou seus esforços.

O líder do campeonato e companheiro de Hamilton na Mercedes, Nico Rosberg, conseguiu a nona vitória na temporada e ampliou a vantagem na classificação para 33 pontos.

"Essa é uma margem boa para Nico, ele fez um grande trabalho, então, parabéns para ele", disse Hamilton, que realizou ultrapassagens espetaculares depois de uma saída lenta da segunda posição que o fez despencar para a oitava. "Vou dar tudo o que tenho, como fiz na corrida, e vamos ver o que acontece."

Hamilton é um competidor formidável que prospera na adversidade e converteu o déficit de 43 pontos em uma vantagem de 19 pontos para Rosberg no início da temporada, com uma raia de seis vitórias em sete corridas. Até o seu melhor, no entanto, talvez não seja o suficiente.

Faltam apenas quatro de 21 corridas e Rosberg pode levar o título mesmo que não ganhe novamente, deixando as esperanças de Hamilton sujeitas à má sorte da notável campanha alemã. Muito também irá depender da recuperação de Hamilton pelos reveses na Malásia e no Japão.

Ele se mostrou uma figura arredia e distraída em Suzuka e se recusou a responder a perguntas da imprensa após a qualificação, o que alguns interpretaram como um sinal de que a pressão pelo título estaria recaindo sobre ele.

O chefe de equipe, Toto Wolff, no entanto, não tinha dúvida de que a Grã-Bretanha se reagruparia antes da próxima corrida em Austin, Texas, onde selou o título no ano passado com três voltas de sobra.

“Lewis funciona melhor quando está sob pressão e quando tem uma meta", disse o austríaco. "Não tenho dúvidas de que será uma briga intensa até o fim. E isto está longe de terminar."