Sampaoli diz que não poderia recusar "sonho" de treinar Argentina

sexta-feira, 19 de maio de 2017 14:31 BRT
 

Por Joseph Cassinelli

MADRI (Reuters) - O técnico do Sevilla, Jorge Sampaoli, disse nesta sexta-feira que uma oferta firme para treinar a seleção da Argentina seria muito tentadora para se recusar, acrescentando que as negociações entre a Associação de Futebol Argentino (AFA) e o clube do Campeonato Espanhol estão bem avançadas.

A AFA, que demitiu Edgardo Bauza em abril após meros oito jogos no comando, escolheu Sampaoli como seu escolhido para assumir o cargo e revitalizar uma campanha classificatória inconstante para a Copa do Mundo de 2018.

A Argentina está em quinto lugar nas eliminatórias sul-americanas, faltando só quatro partidas a serem disputadas, correndo o risco de não conseguir uma vaga na Copa do Mundo da Rússia.

"Meu sonho desde jovem é treinar minha seleção... meu país tem a intenção clara de me oferecer o emprego", disse Sampaoli em uma coletiva de imprensa.

Enfatizando que ainda não assinou um contrato, acrescentou: "Eu só sairia daqui se fosse para comandar meu país. É uma oferta que eu não seria capaz de recusar".

Sampaoli interrompeu uma longa carreira na América do Sul depois de levar o Chile à conquista da Copa América em 2015 e, em sua única temporada no futebol europeu, ajudou o Sevilha a chegar ao quarto lugar da liga espanhola, seu melhor desempenho desde 2010.

Ele também levou o time às oitavas de final da Liga dos Campeões pela primeira vez em sete anos.

O clube foi eliminado pelo inglês Leicester City em uma derrota agregada de 3 x 2, parte de uma sequência de final de temporada que só rendeu à equipe três vitórias em 13 jogos e permitiu ao Atlético de Madri assumir o terceiro lugar da tabela.

"Esta situação é algo que está sendo resolvido agora, não mais cedo, porque tínhamos muito o que disputar. Agora podemos falar sobre isso (Argentina)... porque atingimos nossos objetivos, mas não está nas minhas mãos", disse Sampaoli.

"Se eles não resolverem as coisas, não irei a lugar nenhum. Não irei trocá-los por outro clube". 

 
Sampaoli em jogo do Sevilla contra o Real Madrid 
 14/5/17      Reuters / Sergio Perez