Brasil abre campanha em Pequim de olho em Rio 2016

segunda-feira, 4 de agosto de 2008 10:12 BRT
 

Por Alberto Alerigi Jr.

PEQUIM (Reuters) - A cerimônia de hasteamento da bandeira do Brasil na Vila Olímpica de Pequim nesta segunda-feira, madrugada no Brasil, marcou um início de corpo a corpo brasileiro para reforçar a campanha do país para ser sede das Olimpíadas de 2016.

O evento, que serve para oficializar a entrada de delegações na Vila Olímpica, contou com a participação do ex-presidente da Fifa e membro do Comitê Olímpico Internacional, João Havelange, e também do ministro dos Esportes, Orlando Silva, e do presidente do Comitê Olímpico Brasileiro, Carlos Arthur Nuzman.

Atletas da seleção feminina de basquete, e de canoagem, boxe e tiro com arco assistiram à cerimônia.

Todos os dirigentes evitaram fazer comentários sobre medalhas para o Brasil em Pequim, mas em discurso quase idêntico afirmaram que a participação brasileira nos Jogos deste ano representa o melhor momento já vivido pelo esporte brasileiro.

Havelange, 92, um dos mais importantes dirigentes esportivos do mundo, afirmou a jornalistas, após a cerimônia, que tem o desejo de ver as Olimpíadas serem realizadas no Brasil daqui a oito anos. Ele disputou os Jogos de 1936 e de 1952.

O Rio disputa a chance de ser sede da Olimpíada de 2016 com Chicago (EUA), Tóquio (Japão) e Madri (Espanha). A escolha da cidade-sede acontece em outubro de 2009. Os Jogos de 2012 serão realizados em Londres, Inglaterra. Nuzman afirmou que o país já superou vários marcos com a atual delegação em Pequim e comparou o tamanho da missão brasileira com o da Espanha, que teve a cidade de Barcelona como sede na Olimpíada de 1992.

"Todo desempenho (de atletas) deixa um registro do que é possível. O que o Brasil já fez e trouxe para esta Olimpíada é o que ele já está mostrando ao mundo. Nós temos 277 atletas, e a Espanha, que organizou uma olimpíada há 16 anos, tem 290 e isso mostra o avanço do Brasil em termos de esporte."

A campanha da candidatura do Brasil para 2016 será reforçada na terça-feira, com a inauguração, em um hotel em Pequim, da Casa Brasil, espaço de divulgação do país como destino turístico e de negócios. Além disso, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva assistirá à cerimônia de abertura dos Jogos no próximo dia 8.

"O desempenho do Brasil forte em Pequim, motiva mais o país para a realização no Rio da Olimpíada de 2016. Espero mais finais, mais medalhas", disse o ministro dos Esportes, Orlando Silva, após a cerimônia de hasteamento da bandeira do Brasil na Vila Olímpica. "Os atletas fazem a participação deles nas quadras, nas piscinas, em campos, nos ginásios e nas pistas e o Comitê Olímpico, o governo e o presidente demonstram que o Brasil está pronto para fazer uma Olimpíada histórica", afirmou. Segundo ele, uma equipe de quatro pessoas do Ministério dos Esportes está acompanhando a Olimpíada de Pequim como observadores. "É um laboratório importante para nós para sabermos o que deve e não deve ser feito para se ter uma Olimpíada de sucesso", disse o ministro.