Fluminense perde Libertadores nos pênaltis para LDU

quinta-feira, 3 de julho de 2008 08:13 BRT
 

Por Pedro Fonseca

RIO DE JANEIRO (Reuters) - Os mais de 80 mil tricolores que lotaram o Maracanã viram o Fluminense chegar muito perto do título da Copa Libertadores pela primeira vez na história, mas deixaram o estádio arrasados com a derrota para a Liga Deportiva Universitária nos pênaltis na madrugada desta quinta-feira.

Depois de ter perdido por 4 x 2 no Equador, o time brasileiro conseguiu reverter a desvantagem jogando em casa e venceu por 3 x 1 no tempo normal, graças a três gols do meia Thiago Neves. Mas a recuperação foi em vão. Nas cobranças de pênaltis o goleiro equatoriano Cevallos defendeu os chutes de Conca, Thiago Neves e Washington, garantindo o primeiro título de um clube do Equador na Libertadores.

"A equipe tentou, buscamos os gols que estávamos precisando, mas pênalti é loteria. Infelizmente não deu", disse o meia Cícero a jornalistas após a partida.

Os torcedores do Tricolor pintaram o estádio de verde, branco e grená com camisas e bandeiras do clube e promoveram uma explosão de fogos das mesmas cores sobre o gramado. Sinalizadores escreveram "Fluminense" na arquibancada, e quando o time entrou em campo, o tradicional pó-de-arroz tomou o estádio por completo.

Apesar de precisar vencer por dois gols de diferença para levar o jogo para a prorrogação, o Fluminense entrou em campo apenas com Washington no ataque, apoiado pelos meias Cícero, Thiago Neves e Conca. Com apenas 5 minutos de jogo a situação ficou ainda mais delicada.

Numa jogada de contra-ataque, o ala Guerrón recebeu pela direita, livrou-se da marcação de Ygor numa jogada de habilidade, e rolou a bola para o meio da área. Bolaños bateu forte, no canto direito de Fernando Henrique. Com o gol da LDU, o time brasileiro passou a precisar marcar quatro vezes para conquistar seu primeiro título da Libertadores.

Mesmo com a vantagem na soma dos placares, a LDU continuou buscando o ataque, e abriu espaços na defesa. Num momento do jogo em que as duas zagas apresentavam fraquezas, Thiago Neves fez boa jogada individual na intermediária, livrou-se do marcador, e bateu rasteiro no canto direito do goleiro, empatando aos 11 minutos para recolocar a equipe na partida.

Depois que o técnico Renato Gaúcho mandou o reserva Dodô para o aquecimento, aos 25 minutos, o Fluminense chegou ao segundo, tirando proveito de uma falha da defesa equatoriana.   Continuação...

 
<p>Luis Alberto Bolanos, da LDU, comemora gol contra o Fluminense no Rio de Janeiro. Os mais de oitenta mil tricolores que lotaram o Maracan&atilde; viram o Fluminense chegar muito perto do t&iacute;tulo da Copa Libertadores pela primeira vez na hist&oacute;ria, mas deixaram os est&aacute;dio arrasados com a derrota nos p&ecirc;naltis na madrugada desta quinta-feira. Photo by Fernando Soutello</p>