Atletas paraolímpicos do Iraque levarão mensagem de paz a Pequim

domingo, 3 de fevereiro de 2008 16:00 BRST
 

Por Saif Tawfiq

BAGDÁ (Reuters) - Fakher al-Jamali perdeu nove atletas, árbitros e treinadores por conta dos ataques suicidas e confrontos entre radicais islâmicos e soldados norte-americanos.

Essas mortes fazem que, para Jamali, os Jogos Paraolímpicos de Pequim sejam muito mais que um evento esportivo.

"Transmitiremos a todos os povos do mundo uma mensagem de amor e paz, que o Iraque ama a vida e a paz e quer viver em paz", disse Jamali, secretário-geral do Comitê Paraolímpico Iraquiano.

"Estamos decididos a seguir adiante, apesar do martírio que de nossos queridos irmãos", acrescentou.

As mortes e a ameaça de atentados não impedem 31 atletas de irem três vezes por semana de suas casas até os campos de treinamento, em toda Bagdá, para se prepararem para os Jogos Paraolímpicos, que serão realizados na capital chinesa depois das Olimpíadas de agosto.

Eles não só devem lidar com a violência indiscriminada, como também viver em uma comunidade que oferece poucos serviços especiais para pessoas incapacitadas.

"Eu visitei 66 países, e em todos eles as pessoas com incapacidades pode se mover sem ajuda, porque dispõe de todos os serviços adaptados", disse Jamali.

"Lamentavelmente, o Iraque passou por guerras absurdas e tem a seu redor três milhões de pessoas com incapacidades e o equipamento especial necessário para elas é escasso", avaliou.   Continuação...