Tenista alemão acha injusto ficar fora dos Jogos

segunda-feira, 4 de agosto de 2008 22:14 BRT
 

Por Simon Cambers

LOS ANGELES (Reuters) - O tenista alemão Denis Greemelmayr criticou, nesta segunda-feira, a decisão que negou sua participação no torneio de tênis dos Jogos Olímpicos em favor de seu compatrióta Rainer Schuettler, semifinalista em Wimbledon.

Gremelmayr tinha direito à vaga de acordo com as regras da Federação Internacional de Tênis, mas Schuettler recorreu ao Comitê Olímpico Alemão, que levou o caso à Corte Internacional de Arbitragem do Esporte, que deu ganho de causa a Schuettler.

De acordo com as regras da Federação de Tênis, os 56 tenistas mais bem colocados no ranking em 9 de junho estão automaticamente classificados para os Jogos, observando-se o limite de quatro jogadores por país.

Schuettler, atualmente o 34o. no ranking, ocupava a 89a. colocação naquela data, ao passo que Gremelmayr era o 66o. e outro alemão, Michael Berrer, o 83o.

"Acho isso injusto", disse Greemelmayr aos repórteres, depois de derrotar o italiano Fabio Fognini por (6-4 e 6-2) no primeiro round do Los Angeles Classic.

"Eu pensava que se você tivesse o ranking exigido você estaria lá. É uma grande meta para todo mundo jogar (nas Olimpíadas), mas o que posso fazer?"

Gremelmayr disse que não guarda rancor de Schuettler. "Não acho que seja culpa dele", disse. "Ele jogou muito bem em Wimbledon mas, foi depois da inscrição para os Jogos. Imagino que o Comitê Alemão acha que ele é melhor do que eu."

A Federação Internacional de Tênis comentou mais cedo, na segunda-feira, que a decisão da Corte Arbitral Internacional abre um precedente perigoso.

"É muito preocupante para a Federação Internacional de Tênis, e deve ser também para o Comitê Olímpico Internacional, quando jogadores que não atendem aos critérios de qualificação, aprovados pelo COI, tomam o lugar de outros que foram qualificados e que mereceriam representar seus países nos Jogos Olímpicos de 2008", disse o comunicado da entidade representativa do tênis.