6 de Janeiro de 2008 / às 11:17 / 10 anos atrás

Preocupação com segurança na Mauritânia cancela Rali Dacar

Por Henrique Almeida

LISBOA (Reuters) - O Rali Lisboa-Dacar foi cancelado por questões de segurança na Mauritânia, onde quatro turistas franceses foram mortos no mês passado, informaram os organizadores da tradicional prova nesta sexta-feira.

A empresa francesa Amaury Sport Organisation, responsável pela prova de 6.000 quilômetros, afirmou em comunicado que havia recebido um conselho do governo francês para cancelar a corrida, que tinha largada marcada para sábado, em Lisboa.

De acordo com a nota, "organizações terroristas" também haviam feito ameaças diretas ao evento.

O rali, originalmente conhecido como Paris-Dacar, era realizada anualmente desde 1979, porém algumas etapas foram canceladas no passado por questões de segurança.

"Os organizadores do Dacar tomaram a decisão de cancelar a edição 2008 do rali programada para acontecer entre 5 e 20 de janeiro entre Lisboa e a capital do Senegal", disse a Amaury Sport.

"Baseada na atual tensão política internacional e no assassinato de quatro turistas franceses... mas também especialmente pelas ameaças diretas feitas contra a corrida por organizações terroristas, nenhuma outra decisão poderia ser tomada a não ser o cancelamento do evento esportivo."

O governo francês alertou os organizadores do Dacar, na quinta-feira, contra a passagem da prova pela Mauritânia devido ao "risco de terrorismo".

Três homens, que as autoridades suspeitam ser membros da Al Qaeda, mataram a tiros quatro turistas franceses e feriram um quinto enquanto eles faziam um piquenique à margem de uma estrada no sul do país, próximo à fronteira com o Senegal, na véspera do Natal.

Homens armados mataram três soldados três dias depois em uma região afastada e pouco povoada ao norte do país, na fronteira com Argélia e Marrocos, no deserto do Saara.

Um porta-voz do Escritório Nacional de Turismo da Mauritânia, Hamady Samb Ba, minimizou as preocupações francesas, entretanto.

"Isso é uma surpresa", disse ele, antes da corrida ser oficialmente cancelada. "Seria um grande prejuízo à imagem do país. As preocupações deles são infundadas."

O rali, um dos mais duros e perigosos desafios do automobilismo mundial, tinha chegada prevista na Mauritânia em 11 de janeiro. O país receberia 8 etapas do rali até 19 de janeiro.

Cerca de 570 equipes estavam inscritas para a 30a edição do evento, em que a Muitsubishi tentaria conquistar o oitavo título seguido na categoria carros. Dez pilotos brasileiros estavam inscritos nas categorias carros, motos e caminhões.

Reportagem adicional de Ibrahima Sylla, em Nouakchott

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below