Cuba ganhará três ouros no boxe em Pequim, diz tricampeão

sexta-feira, 4 de abril de 2008 14:39 BRT
 

HAVANA (Reuters) - O boxeador Félix Savón, tricampeão olímpico na categoria de até 91 quilos, disse nesta sexta-feira que Cuba ganhará pelo menos três medalhas de outro no torneio do esporte, nos Jogos de Pequim, e descartou a possibilidade de os Estados Unidos estarem em condições de vencer a competição por equipes.

Savón ganhou sucessivamente as medalhas de ouro nos Jogos de Barcelona em 1992, Atlanta em 1996 e Sidney em 2000, uma façanha só igualada na história das Olimpíadas pelo também cubano Teófilo Stevenson e pelo húngaro Lazlo Papp.

"O boxe cubano poderá ganhar umas seis medalhas, sendo três de ouro nas Olimpíadas de Pequim", disse o ex-boxeador a uma emissora de rádio local.

Os boxeadores de Cuba conquistaram cinco medalhas de ouro, duas de prata e uma de bronze nos Jogos de Atenas em 2004.

No entanto, três dos titulares na Grécia desertaram no fim de dezembro de 2006, em Caracas, outro pugilista se aposentou e um terceiro está em Havana sem boxear oficialmente, depois de uma tentativa frustrada de desertar em julho de 2007, durante os Jogos Panamericanos, no Rio de Janeiro.

"A equipe cubana é uma das favoritas para ganhar o torneio (olímpico) apesar de sua juventude e da força da Rússia e do Cazaquistão", afirmou Savón, também hexacampeão mundial da categoria de até 91 kilos.

Rússia e o Cazaquistão são equipes de muito potencial, disse o boxeador.

Savón, que se aposentou depois dos Jogos de Sidney em 2000, disse que os rivais de Cuba na Olimpíada têm "estudado" a equipe da ilha, que ganhou 32 ouros desde os Jogos de Munique em 1972 até Atenas em 2004.

Os Estados Unidos -- disse Savón -- "não têm o nível suficiente para poder ganhar a medalha por equipes em Pequim", mas poderiam conseguir ficar entre as quatro ou cinco primeiros.

(Reportagem de Nelson Acosta)