Pato é o espetáculo, para famosos e agora para turista olímpico

terça-feira, 5 de agosto de 2008 05:55 BRT
 

PEQUIM (Reuters) - O momento é de entoar a canção "Uma Chama de 100 Anos". E os empregados formam filas para cantar o estribilho: "Emana fragrância, emana vida. Sua paixão é mais quente do que a chama do forno." Do que estão falando? A resposta é inesperada: "Do famoso Pato de Pequim".

O restaurante Quanjude, que já recebeu líderes mundiais como o cubano Fidel Castro e o norte-americano George Bush (o pai), está disposto a fazer tudo para os visitantes olímpicos.

Seus 18 salões de banquete levam os nomes das cidades que já foram sede dos Jogos e até a comida está ligada a temas olímpicos, como cogumelo em forma de disco, milho como dardo e tocha olímpica feita de camarões.

"Aquele que nunca foi à Grande Muralha não é um homem de verdade, e quem não provar o pato assado do Quanjude vai se arrepender", dizem no restaurante, onde uma garçonete e um chef fazem uma demonstração de luta com espadas.

(Por Paul Majendie)