Jogadoras do vôlei de praia se fortalecem por imagem sensual

terça-feira, 5 de agosto de 2008 09:35 BRT
 

Por Jane Barrett

PEQUIM (Reuters) - Quando o vôlei de praia passou a ser disputado nas Olimpíadas, em 1996, críticos disseram que o esporte havia sido incluído apenas para aumentar a audiência do evento ao explorar corpos bronzeados de mulheres bonitas usando biquíni.

Apesar de o apelo sensual certamente vender o esporte, as jogadores garantem que tiram energia da atenção que recebem, em vez de se verem como objeto de desejo dos torcedores.

"Me sinto fortalecida. Sou uma esportista, estou ficando mais forte o tempo todo, e esse é o meu uniforme", disse a norte-americana Kerri Walsh, favorita ao ouro em Pequim, ao limpar as mãos no biquíni preto e branco.

"Não me sinto explorada de forma alguma. Esperamos estar apenas encorajando as pessoas a serem saudáveis e em forma. Nosso estilo de vida é maravilhoso", acrescentou.

As regras do vôlei de praia olímpico determinam que a parte debaixo do biquíni deve ter 7 cm de largura na lateral -- nem tão indecente nem tão grande.

O "modelo brasileiro" também cria uma atmosfera de estilo e glamour em várias praias do mundo onde o esporte se mistura com o apelo sensual.

As jogadoras tem a opção de jogar de maiô, mas a maioria prefere o biquíni, por ser mais confortável. Os homens devem usar shorts pelo menos 10 cm acima do joelho e camisa sem manga.

"Eu não me importo com a imagem. Você apenas entra em quadra e joga e recebe o apoio do público", disse a brasileira Renata, parceira de Talita.

"Se ser símbolo sexual ajuda a trazer o apoio, então tudo bem."