Rebeca Gusmão é banida das piscinas por doping

sexta-feira, 5 de setembro de 2008 18:12 BRT
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A Federação Internacional de Natação decidiu suspender definitivamente do esporte a nadadora brasileira Rebeca Gusmão, que teve duas acusações de doping comprovadas, informou a Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (Cbda) nesta sexta-feira.

"A Cbda vem tornar público que acaba de receber da Federação Internacional de Natação o inteiro teor da decisão do Painel de Doping da Fina que resolve suspender por toda vida, a partir de 18 de julho de 2007, a atleta Rebeca Gusmão", informou a Cbda em breve comunicado.

A decisão da Fina segue o regulamento da Agência Mundial Antidoping (Wada), que determina a exclusão do esporte para qualquer atleta que tenha dois casos de doping comprovados na carreira.

Rebeca, que em maio foi condenada a dois anos de suspensão por um exame antidoping positivo durante os Jogos Pan-Americanos do Rio, em julho de 2007, recebeu a segunda suspensão também de dois anos em julho passado, por um exame positivo realizado durante o Campeonato Brasileiro de 2006.

Nos dois casos, a substância proibida encontrada no organismo de Rebeca foi a testosterona, hormônio masculino.

A nadadora entrou com recurso contra a condenação referente ao Pan-Americano na Corte Arbitral do Esporte (CAS), e o caso ainda está sendo avaliado. Ainda assim, a Fina decidiu suspendê-la definitivamente das competições.

No final de 2007, a Organização Desportiva Pan-Americana (Odepa) decidiu cancelar os tempos e cassar as medalhas conquistadas por Rebeca no Pan daquele ano. A nadadora havia conquistado a medalha de ouro nos 50m e 100m livre, a de prata no revezamento 4x100m livre e o bronze no 4x100m medley.

(Por Pedro Fonseca)

 
<p>Rebeca Gusm&atilde;o &eacute; banida das piscinas por doping. A Federa&ccedil;&atilde;o Internacional de Nata&ccedil;&atilde;o decidiu suspender definitivamente do esporte a nadadora brasileira Rebeca Gusm&atilde;o, que teve duas acusa&ccedil;&otilde;es de doping comprovadas, informou a Confedera&ccedil;&atilde;o Brasileira de Desportos Aqu&aacute;ticos (Cbda). Foto do Arquivo. Photo by Sergio Moraes</p>