Após briga por escalação, Romário deixa de ser técnico do Vasco

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2008 23:32 BRST
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - Após uma divergência com o presidente do Vasco, Eurico Miranda, o tetracampeão do mundo Romário decidiu deixar o cargo de técnico da equipe cruzmaltina, segundo anúncio feito pelo próprio dirigente vascaíno nesta quinta-feira.

O atacante tomou a decisão após o cartola impor a escalação do atacante Alan Kardec, enquanto o jogador-treinador, atualmente suspenso pelo uso de uma substância proibida, preferia a entrada de Abuda na equipe titular.

"Eu lamento profundamente o que aconteceu, mas não abro mão de exercer a presidência do Vasco. Recusei várias propostas pelo Alan Kardec, quando soube que ele ficaria no banco ponderei e disse que seria injusto com o jogador e com o Vasco", disse Eurico em entrevista coletiva.

"Foi realmente uma decisão minha de que o Alan Kardec teria que jogar. O Romário entendeu que essa não era a opinião dele e comunicou que não seria mais treinador do Vasco."

Romário, de 42 anos, não atua desde dezembro, quando foi suspenso por 120 dias após testar positivo para a substância proibida finasterida. O jogador argumenta que essa substância está presente em um remédio contra a queda de cabelo.

Além disso, o jogador anunciou na semana passada que encerrará sua carreira ao término de seu atual contrato com o Vasco, que vai até o final de março, independentemente do sucesso de um recurso junto ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva, no qual o Vasco tenta conseguir um efeito suspensivo para o atacante. O julgamento está marcado para o dia 14 deste mês.

Apesar disso e da divergência que tirou Romário do comando do Vasco, Eurico afirma ainda contar com os serviços de jogador do "baixinho". "O Romário é jogador do Vasco e tem contrato até 30 de março. Para o clube ele ainda é jogador do Vasco", disse. (Reportagem de Rodrigo Viga Gaier)