Dunga reclama da comida e do pouco tempo para treinar

quarta-feira, 6 de agosto de 2008 03:34 BRT
 

Por Brian Homewood

PEQUIM (Reuters) - A tentativa de alterar o cardápio servido aos jogadores da seleção brasileira de futebol virou uma odisséia para o técnico Dunga na China.

"Quando você pede para o cozinheiro mudar o menu, ele tem que falar com o chefe, que tem que falar com o chefe e até lá a Olimpíada terá acabado", afirmou o treinador do Brasil, que estréia nos Jogos contra a Bélgica, em Shenyang, na quinta-feira.

Dunga, que partiu para a Olimpíada pressionado devido à campanha ruim da seleção nas eliminatórias para a Copa do Mundo de 2010, também reclamou do pouco tempo reservado aos treinamentos do time olímpico.

"É uma série de dificuldades... Só temos permissão de treinar por uma hora e 15 minutos, algo que foi decidido por alguém que nunca jogou futebol", disse o treinador.

O Brasil, que normalmente fica em hotéis de altíssimo luxo, viaja de avião para os locais de competição e carrega sua própria comida, desta vez está acomodado nos locais oficiais, mesmo com jogadores como Ronaldinho Gaúcho, Anderson e Diego.

"Há uma série de fatores que poderia nos derrubar antes mesmo de ir a campo", disse Dunga. "Mas tudo isso só nos dá mais motivação para passar por todas essas barreiras."

O Brasil, que viajará de trem para o último jogo da primeira fase da Olimpíada, contra a China, em Qinhuangdao, tenta conquistar a medalha de ouro inédita no futebol.

O presidente da CBF, Ricardo Teixeira, havia afirmado no início deste ano que desta vez não haveria tratamento especial para a seleção brasileira.

"Tentei de outra forma e não funcionou. Em Atlanta, em 1996, levamos o melhor time, que ficou nos melhores hotéis, gastamos 5 milhões de dólares e não fomos campeões", disse ele.