Autonomia dos Comitês Olímpicos Nacionais está ameaçada, diz COI

quarta-feira, 6 de agosto de 2008 04:06 BRT
 

Por Karolos Grohmann

PEQUIM (Reuters) - Um número cada vez maior de Comitês Olímpicos Nacionais vem sentindo sua autonomia ameaçada nos respectivos países durante os últimos anos, o que pode resultar em suspensões, informou o Comitê Olímpico Internacional (COI), nesta quarta-feira.

No mês passado, o COI suspendeu o Comitê Olímpico do Iraque, que tinha sido dissolvido por seu governo, para ser substituído. Apenas conversas de última hora conseguiram reagrupar um pequeno número de atletas do país para ir a Pequim e disputar a Olimpíada.

O COI se mostra altamente sensível a interferências governamentais nos assuntos olímpicos -- já havia banido o Afeganistão em 1999 por não permitir a participação de mulheres nas competições, uma quebra nos mandamentos da Carta Olímpica.

O Afeganistão perdeu a Olimpíada de Sydney 2000, por conta do banimento.

"Nos últimos três ou quatro anos, houve no mínimo 10 a 15 países com os quais tivemos problemas", disse Jacques Rogge, presidente do COI, na 120a. Assembléia Geral da entidade, que se realiza em Pequim. "Nós sempre começamos por negociações com os governos."

"Na maioria dos casos, o governo admite seus erros e muda sua política. Mas às vezes o governo não quer aceitar que quebrou regras da Carta Olímpica. Então aplicamos suspensão", disse Rogge, lembrando que negociações têm de ser diplomáticas, e não agressivas.

"Sempre acho que temos de debater respeitosamente com os governos", disse. "Mas quando você entra no debate, você precisa de uma saída para uma eventual saia-justa, uma saída para que não pareça que um lado saiu perdendo."