Ativistas chineses são barrados em Hong Kong

quarta-feira, 6 de agosto de 2008 14:02 BRT
 

Por James Pomfret

HONG KONG (Reuters) - Três importantes ativistas chineses foram impedidos de entrar em Hong Kong na quarta-feira devido às medidas de segurança e imigração, que estão mais duras porque as provas equestres das Olimpíadas serão realizadas ali.

Hong Kong voltou a fazer parte da China em 1997 depois do comando britânico, com promessas de extensa autonomia. Mas, nos últimos meses, a ilha parece ter se rendido à pressão chinesa e barrou ativistas que pretendiam fazer protestos pré-Olímpicos pacíficos.

Críticos dizem que isto prejudica a imagem de liberdade e abertura que Hong Kong tem.

Zhou Jiang, Min Wong e Yang Jianli, ativista em defesa da democracia na China exilado nos Estados Unidos, foram detidos pelas autoridades no aeroporto.

Falando de um centro de detenção dentro do aeroporto, Yang atacou as autoridades de Hong Kong por tê-lo detido apesar de, segundo ele, ter um passaporte chinês válido.

"As medidas de segurança autocráticas (em Hong Kong) são resultado da pressão direta do governo de Pequim...por causa da Olimpíada", disse Yang à Reuters por telefone, de dentro do centro de detenção, onde deve ficar pela madrugada com Min Wong, após recusar ser deportado para Tóquio.

Yang, libertado da prisão chinesa no ano passado, insistiu em pedir que as autoridades de Hong Kong o deixassem viajar para a China, apesar do risco de ser preso novamente.

"Quero desafiar as autoridades sobre a questão do direito de voltar para casa.... Muitos, muitos dissidentes (chineses) não têm o direito de voltar para casa", disse Yang, 45 anos.

Yang planejava fazer um protesto pacífico em Hong Kong, em defesa da democracia e da expansão dos direitos humanos na China.