Poluição de Pequim não agrega risco a atleta com asma, diz grupo

terça-feira, 6 de maio de 2008 16:12 BRT
 

Por Karolos Grohmann

ATENAS (Reuters) - Os atletas que sofrem de asma não correm mais riscos nas Olimpíadas de Pequim do que os outros atletas, apesar da poluição da cidade, disse uma organização européia na terça-feira.

Autoridades de Pequim têm sido pressionada para melhorar a qualidade do ar antes dos Jogos Olímpicos, que começam no dia 8 de agosto. O Comitê Olímpico Internacional (COI) disse que há algum risco para os atletas que disputarem provas de resistência com mais de um hora de duração.

Pequim é uma das cidades mais poluídas do mundo. Apesar do investimento de 17,12 bilhões de dólares feito em purificação na última década, a qualidade do ar continua sendo uma grande preocupação.

"Não vejo perigo maior para os atletas que sofrem de asma do que para os que não sofrem", disse Nikos Papadopoulos, vice-presidente da Academia Européia de Alergologia e Imunologia Clínica (AEAIC).

"Queremos ressaltar que, com um bom diagnóstico e um bom tratamento, qualquer atleta que sofra de asma pode atingir seu potencial total."

A poluição de Pequim já fez sua primeira vítima importante: o maratonista asmático Haile Gebrselassie, duas vezes campeão olímpico. Ele desistiu da maratona masculina, com medo de que a poluição afetasse sua saúde.

Os melhores maratonistas competem ao ar livre por pouco mais de duas horas.

O COI disse que consideraria remarcar as provas que durem mais de uma hora, caso a qualidade do ar não esteja boa no momento da competição.   Continuação...