Caso de espionagem da Renault pode ser reaberto

sexta-feira, 7 de dezembro de 2007 11:45 BRST
 

LONDRES (Reuters) - A Renault ainda pode sofrer uma penalidade no futuro se novas evidências surgirem comprovando que a equipe teve vantagem através de informações técnicas da McLaren obtidas pelo time francês, disse nesta sexta-feira a Federação Internacional de Automobilismo (FIA).

Os campeões da Fórmula 1 em 2005 e 2006 foram considerados culpados de infringir as regras da categoria, mas escaparam sem nenhuma punição de uma audiência realizada na quinta-feira, em Mônaco, pelo Conselho Mundial de Automobilismo da FIA.

De acordo com os membros da federação, não há provas suficientes de que o campeonato tenha sido afetado. A FIA publicou nesta sexta-feira uma explicação de seu veredicto.

"O Conselho concluiu que há provas insuficientes para determinar que as informações tenham sido utilizadas de alguma forma para interferir ou ter impacto no campeonato", explicou a FIA em comunicado.

"Deve ser destacado que, no caso de novas informações que questionem as conclusões do Conselho sobre essa decisão, essa questão pode ser reaberta pela FIA."

O caso de espionagem da Renault foi o segundo da Fórmula 1 nesta temporada. No outro, a McLaren foi multada em 100 milhões de dólares e excluída do Mundial de Construtores, em setembro, por ter obtido e utilizado informações da Ferrari.

(Por Alan Baldwin)